PublicidadePublicidade

Morte de transexual com tiro na cabeça: as duas versões do crime que chocou Rio Verde

Audiência de custódia prevista para os próximos dias deve decidir o destino provisório do suspeito

Pedro Ribeiro -
Versões para o mesmo crime são divergentes (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Um empresário de 37 anos foi preso em Rio Verde, no Sudeste goiano, por ser suspeito de matar uma transexual de 29 anos com um tiro na cabeça.

O crime ocorreu no dia 16 de setembro, mas ele só foi preso na sexta-feira (1º). Apesar da confissão por parte do preso, duas versões do crime ainda intrigam os policiais atuam no caso.

A esperança dos agentes da Polícia Civil (PC) é que as câmeras de segurança ajudem na investigação.

Responsável pelas investigações, o delegaco Adelson Canedo afirmou que a vítima foi identificada apenas como “Alessandra”.

Em depoimento, o empresário alegou que parou seu veículo para pedir uma informação e teve o carro invadido por um grupo de travestis e obrigado a se deslocar a um posto de gasolina abandonado.

No local, ele teria comprado drogas para elas e retornado para o local onde havia parado anteriormente. Após uma discussão, o homem atirou fatalmente contra uma delas.

Já a versão das amigas da vítima é diferente. Segundo elas, o empresário havia contratado um programa, que não aconteceu. Ele quis o dinheiro de volta e atirou conta Alessandra no rosto.

Uma audiência de custódia prevista para os próximos dias deve decidir o destino provisório do suspeito.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade