Prefeitura de Anápolis pede que Polícia Civil investigue conselheiro tutelar do município

Ele está suspenso das atividades e o Ministério Público também foi avisado sobre o caso

Karina Ribeiro -
Fachada de Conselho Tutelar de Anápolis. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Atualizada às 13h43 com a versão do conselheiro tutelar

O Conselho Municipal de Direitos Humanos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Anápolis notificou, no último dia 27, conforme registro no Diário Oficial do Município (DOM), um conselheiro tutelar identificado apenas pelas iniciais G.F.B

Ele foi suspenso por 45 dias, de forma não remunerada, a contar da data da publicação no documento.

PublicidadePublicidade

A decisão foi tomada, por maioria absoluta, após reunião do colegiado. Neste mesmo dia houve a convocação da conselheira tutelar suplente, Bárbara Morgana Mesquita Cavalcante.

O Portal 6 procurou a Prefeitura de Anápolis para saber mais informações sobre o Processo Administrativo (PAD) contra o profissional, que disse em nota que o teor de processos assim não são “de natureza pública”.

No entanto, a reportagem apurou com fontes internas e externas que o rapaz já respondeu a diversos PAD’s desde que foi eleito em 2020.

Mas dessa vez a gravidade parece ser maior. É que, dois dias após a suspensão, a Gerência de Corregedoria do Município (CGM) encaminhou o processo à Polícia Civil ‘para adoção de medidas investigatórias à luz da norma processual penal.

O ofício tem a assinatura da secretária municipal de Integração Social, Esporte e Cultura, Andréa Lins.

Uma cópia também foi enviada para ciência do Ministério Público.

O que diz o conselheiro tutelar

Em contato com o Portal 6,  o conselheiro tutelar sustentou que o único PAD que ele responde é o de número 40943/2020, cuja sindicância apura a cobrança ‘dos protocolos sanitários de segurança contra a Covid-19’.

Segundo ele, no auge da pandemia, alguns servidores insistiam em descumprir regras.

“Alguns servidores reclamavam que eu estava cobrando as normas de forma incisiva, mas não tenho nenhuma relação com esse outro PAD e nada a ver com investigação”, disse.

Com a palavra, a Prefeitura de Anápolis

A Prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria de Integração Social, Esporte e Cultura, esclarece que os processos de sindicância e Processos Administrativo Disciplinar envolvendo Conselheiros Tutelares são de competência do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.