Criminosos se passavam por delegados para cometer crime cruel em Goiás

Polícia Civil deflagrou mega operação e desvendou como grupo agia para enganar as vítimas, que ficavam com grandes prejuízos

Karina Ribeiro -
Imagem do momento em que um dos criminosos foi preso. (Foto: Divulgação/PC)

Mais um golpe ousado utilizando as redes sociais como pano de fundo foi desvendado pela Polícia Civil de Goiás (PC-GO) nesta quarta-feira (03).

Desta vez, os criminosos se passavam por falsos delegados e, assim, conseguiam extorquir as vítimas.

Foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária e quatro mandados de busca e apreensão.

PublicidadePublicidade

Na prática, num primeiro momento, os criminosos entravam contato com pessoas para interagir nas redes sociais, por meio de troca de mensagens por aplicativos, se passando por jovens mulheres e enviando fotos íntimas.

Numa segunda etapa, os criminosos se passavam por delegados de polícia.

Para desnortear a pessoa do lado de lá, ainda afirmavam que estavam investigando caso de pedofilia. “Aí eles falavam para a vítima que ela estava sendo investigada por tal crime”, diz a delegada Renata Vieira.

Com isso, o falso delegado dizia que possuía um mandado de prisão contra a vítima.

Para paralisar a ‘investigação’ e não ‘divulgar’ o nome na imprensa, pediam grandes quantias em dinheiro.

A organização criminosa fez diversas vítimas no interior do Pará, além de outros estados.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.