Presos três homens e uma mulher por mortes bárbaras em Alto Paraíso

Polícia Civil revela que crimes ocorriam em três fases e briga por terras teria sido o motivado

Karina Ribeiro -
Imagem de pessoas sendo presas em Alto Paraíso. (Foto: Divulgação/PC)

A Polícia Civil de Goiás (PCGO) desvendou uma cadeia de crimes provocados por disputas de terras em Alto Paraíso – cidade turística goiana.

Foram cumpridos, nessa quinta-feira (04), quatro mandados de prisão preventiva e dois mandados de busca e apreensão por pessoas investigadas por homicídio triplamente qualificado.

Essa é a segunda fase da Operação Nêmesis. Segundo a delegada Bárbara Butini, os crimes passavam por três fases.

“Primeiramente, o mandante de todos os homicídios contratava um terceiro, para que este contratasse executores para matar a vítima”, explicou.

Nessa trama, uma pessoa era contratada para executar os envolvidos no primeiro homicídio, como forma de queima de arquivo.

Nessa etapa, a PC prendeu os criminosos do segundo homicídio – que teriam recebido cerca de R$ 80 mil em terras.

“Assim, o mandante pretendia eliminar qualquer rastro probatório que pudesse vinculá-lo aos crimes”, acrescenta a delegada.

Além disso, a esposa do mandante dos dois homicídios, preso na primeira fase da operação, também foi presa.

Ela era cúmplice, já que responsável por fazer os pagamentos dos crimes cometidos.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.