PublicidadePublicidade

Novo surto de Covid-19 na Europa faz Caiado aumentar cautela sobre gestão da pandemia em Goiás

Governador esteve em Anápolis para conhecer novo hospital e também apontou omissão do Ministério Público em obra do Aeroporto de Cargas

Rafaella Soares -
Governador durante fala com a imprensa em visita ao novo hospital municipal de Anápolis. (Foto: Rafaella Soares)

O governador Ronaldo Caiado (DEM), esteve em Anápolis nesta quarta-feira (10) para uma visita técnica no Hospital Municipal Alfredo Abrahão, inaugurado na terça (09) com a presença de diversas autoridades, incluindo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Em conversa com a imprensa, o chefe do Executivo estadual afirmou que essa etapa de retomada, até mesmo na área da Saúde, precisa ser feita com responsabilidade, uma vez que a pandemia ainda não acabou.

“Hoje temos uma matéria preocupante que na Europa está tendo a reincidência da pandemia. Tudo isso é sinal de alerta para nós. Temos muita preocupação com isso. Pedimos que as pessoas se conscientizem e tomem a segunda dose [da vacina], e aqueles que precisarem tomem a terceira”, disse.

PublicidadePublicidade

“Tenho pedido sempre aos nossos deputados estaduais e senadores que tenham cuidado para que na Lei Orçamentária para 2022 realmente mantenham os nossos leitos habilitados, para que a gente tenha também uma contrapartida do Governo Federal. Não teremos como suportar toda a carga se também não tiver o compartilhamento com o Ministério da Saúde”, acrescentou.

Ainda sobre a volta das atividades de saúde neste momento em que a pandemia já apresentou uma queda, Caiado relembrou que há uma verba de R$ 10 milhões para auxiliar nas cirurgias eletivas de Anápolis no novo hospital e ainda defendeu o sistema de OS.

“É um sistema que funciona. Tem OS’s que não cumpriram seus compromissos, mas não quer dizer que, por falha de uma, possa denegrir todo o sistema. Tem que ter uma auditora rígida para que o dinheiro aplicado venha em retorno na qualidade de saude dos pacientes internados. OS não pode ser para caixa dois de campanha e para enriquecimento ilícito, tem que ser para atender e operar as pessoas com padrão de excelência na área de saúde”, afirmou.

Aeroporto de cargas

Durante a agenda do governador, também foi realizada uma visita na nova agência empresarial dos Correios, no Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA).

Por ser uma necessidade para o bom funcionamento dessa agência, Caiado falou sobre as obras do aeroporto de cargas e reafirmou se tratar de um grande crime ambiental.

“Estamos fazendo uma obra de recuperação, de uma destruição que foi feita sem o menor planejamento nas cabeceiras da pista, que destruiu ali totalmente o rio, chamado Extrema. O pessoal está trabalhando para tentar conter a erosão e tentar realmente recuperar tudo aquilo”.

O governador também apontou omissão do Ministério Público e lamentou que a construção do aeroporto tenha servido apenas como “campanha eleitoral”, já que “poderia ser construído a 2 km dali, sendo que o gasto seria bem menor”.

“É um crime ambiental e, infelizmente, até hoje não vi o Ministério Público daqui tomar a iniciativa, no sentido de penalizar duramente aqueles que o cometeram. O aeroporto já custou mais de R$ 300 milhões para os cofres do Estado e avalia-se um gasto de mais de R$ 200 milhões. É algo totalmente descabido diante do momento em que passa o estado de Goiás”.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.