É surreal o sumiço do corpo de idoso deixado em UPA de Goiânia

Caso foi tornado público nesta segunda-feira (22) e investigação deve dar trabalho para a polícia

Karina Ribeiro -
Corpo do Idoso sendo retirado do matagal. (Imagem: Reprodução/TV Anhanguera)

A morte de um idoso, de 64 anos, recheada de mistério está desafiando órgãos públicos e de segurança pública em Goiânia.

Ele, que era paciente de uma clínica de reabilitação, foi encaminhado pelos funcionários do estabelecimento localizado em Abadia de Goiânia, por volta de 22h30 de domingo (21), para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Itaipu, em Goiânia, sob alegação de que estava passando mal.

A notícia foi veiculada pelo Jornal Anhanguera 1ª edição. Conforme a reportagem, ao chegar à unidade médica foi atendido pelo  médico plantonista que, por sua vez, se recusou a emitir o atestado de óbito ao perceber que o falecimento já havia ocorrido há algumas horas.

Entretanto, o médico que o atendeu se recusou a emitir o atestado de óbito ao perceber que o falecimento já havia ocorrido há algum tempo.

O Serviço de Verificação de Óbito foi chamado para apurar a causa da morte mas, surpreendentemente, quando os técnicos chegaram, o corpo havia desaparecido do necrotério.

As evidências de um caso considerado, no mínimo, fora do comum, continuam.

O corpo foi descoberto no meio do mato, situado no fundo da UPA. Uma maca foi encontrada próxima ao matagal, sugerindo que tenha sido utilizada para descarte do corpo.

Para piorar, câmeras de segurança que poderiam desvendar as circunstâncias ocorridas estavam desligadas.

Em entrevista à TV, filhos do idoso afirmaram que a clínica de reabilitação entrou em contato com a família durante a madrugada desta segunda-feira (22). “Já ficamos preocupados por conta da hora. Daí, nos informaram que ele teve uma dor forte no peito e foi encaminhado para a UPA”, disse Rosângela Fernandes Melo.

A Polícia Técnico-Científica esteve no local ao longo da manhã desta segunda-feira para realizar a perícia. Segundo a assessoria da Polícia Civil, o caso segue em apuração e, inclusive, está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios.

Com a palavra, a Prefeitura de Goiânia:

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que por volta de 22h30 deste domingo, 21 de novembro, a equipe de plantão da UPA Itaipu recebeu o paciente JGM, de 64 anos, levado à unidade por funcionários de uma clínica de reabilitação situada em Abadia de Goiás.

O paciente já chegou em parada cardíaca e, por quase uma hora, a equipe realizou procedimentos de reanimação.

A morte foi constatada às 23h52 e o Serviço de Investigação de Óbitos de Goiânia acionado para que fosse investigada a possível causa da morte.

Mas cerca de uma hora depois, profissionais da UPA descobriram que o corpo não estava mais no necrotério da unidade e a Polícia Militar foi acionada.

A pasta informa ainda que acompanha o caso e uma equipe técnica foi designada para averiguar o ocorrido na UPA.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.