Para especialista, Goiás deve ‘recalcular a rota’ a fim de evitar nova onda e agravamento da pandemia

SES prepara documento recomendando a restrição de eventos durante as comemorações de final de ano

Augusto Araújo -
Festas como Revellion e Carnaval estão na mira de cancelamentos em Goiás. (Foto: Reprodução/ Instagram)

O momento é de preocupação. Com o surgimento da “Omicrôn”, nova variante da Covid-19 identificada na África, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) deve fazer uma nova intervenção em Goiás.

Em entrevistas recentes, Ismael Alexandrino, o titular da pasta, ressaltou que um alerta deverá será emitido ainda esta semana, recomendando a restrição de eventos de rua no estado.

Para aprofundar no assunto, o Portal 6 entrevistou Gustavo Paulo, coordenador técnico das unidades de saúde do Distrito Sanitário Oeste de Goiânia, que entende haver, de fato, a necessidade de ações mais rígidas para o enfrentamento à nova variante.

Com as possíveis restrições em Goiás aos eventos de rua, o enfermeiro infectologista enxerga que celebrações como as festas de Réveillon e o Carnaval de 2022 podem acabar atingidas.

“[As medidas restritivas] não surgem do dia para a noite, são baseadas em estudos, pesquisas científicas. Nós estamos aí com uma provável nova onda, então temos que nos resguardar e a nossa população”.

Gustavo Paulo critica as medidas de flexibilização adotadas em Goiás. Para ele, foi feita de forma muito acelerada. Deste modo, dar esses “dois passos para trás”, seria importante para evitar mais contaminações e mortes pela doença.

“É importante ‘recalcular a rota’, traçar um planejamento, para garantir que a população esteja protegida”, argumentou.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.