Erupção de vulcão na Indonésia deixa ao menos 14 mortos e causa destruição

De acordo com a Agência de Mitigação de Desastres do país, pelo menos 98 pessoas ficaram feridas e outras 902 foram evacuadas da região

Folhapress -
Erupção de vulcão na Indonésia deixa ao menos 14 mortos e causa destruição (Foto: Reprodução/Redes sociais)

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Subiu para 14 o número de pessoas mortas após a erupção do vulcão Semeru, na ilha de Java, na Indonésia, informou a Agência de Mitigação de Desastres do país neste domingo (5). Apenas duas delas foram identificadas até o momento, segundo Abdul Muhari, porta-voz da agência.

Ainda de acordo com Muhari, pelo menos 98 pessoas ficaram feridas, incluindo duas mulheres grávidas, e outras 902 foram evacuadas da região. Do total de feridos, pelo menos 35 pessoas precisaram ser hospitalizadas por causa de queimaduras, segundo a agência.

A erupção ocorreu por volta das 15h30 de sábado (4), no horário local, equivale a 5h30 no fuso de Brasília, e cobriu várias vilas ao redor da montanha com cinzas. Dezenas de moradores fugiram às pressas de suas casas após uma enorme nuvem de fumaça cobrir os imóveis da região.

O Semeru, que fica a mais de 3.600 metros acima do nível do mar, é um dos quase 130 vulcões ativos da Indonésia.

O vulcão estava no segundo nível de alerta mais alto desde a grande erupção que ocorreu em dezembro de 2020, que obrigou milhares de pessoas a fugir.

O arquipélago indonésio está localizado no “Círculo de Fogo” do Pacífico, com quase 130 vulcões ativos devido à fusão das placas continentais. No final de 2018, a erupção de um vulcão no estreito entre as ilhas de Java e Sumatra causou um terremoto subaquático seguido de um tsunami que deixou mais de 400 mortos.

Pelo menos 11 vilarejos no distrito de Lumajang foram cobertos por uma espessa camada de cinzas, que quase enterrou completamente algumas casas e veículos, e matou animais.

Cerca de 900 pessoas tiveram que ir para abrigos e mesquitas para pernoitar.

As operações de evacuação foram temporariamente suspensas na parte da manhã deste domingo devido a nuvens de cinzas, informou o canal Metro TV, destacando as dificuldades enfrentadas pelos socorristas.

As fortes chuvas também podem causar ondas de lama quente, carregando cinzas e detritos, alertou o vulcanologista indonésio Surono.
Pelo menos sete pessoas ainda estão desaparecidas, duas das quais podem estar vivas, segundo o porta-voz da polícia de Lumajang, Adi Hendro, à AFP.

“Há sinais de vida, como luzes, que podem estar vindo de seus telefones celulares”, explicou Hendro. “Mas não podemos chegar até elas porque o terreno ainda está muito quente. Também precisamos garantir a segurança das nossas equipes.”

Um vídeo compartilhado pelos bombeiros mostra tetos de casas e palmeiras que emergem das cinzas e cobrem todo o chão.

As autoridades pediram aos habitantes que não se aproximassem a menos de 5 quilômetros da cratera porque o ar saturado de poeira é perigoso para pessoas com problemas de saúde. O governo enviou alimentos, máscaras e sacos mortuários à região.

O monte Semeru, o mais alto da ilha de Java, tem 3.676 metros.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.