Força-tarefa é criada em Anápolis para tentar frear altos índices de dengue

"É uma situação alarmante e precisamos da ajuda da população”, afirmou gerente de endemias do município

Gabriella Pinheiro -
Força-tarefa tenta diminuir casos de dengue em Anápolis. (Foto: Divulgação)

A luta contra a dengue é uma dura realidade em Anápolis. É que só no primeiro trimestre deste ano, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) recebeu 2.806 notificações da doença, sendo que 839 confirmados.

De acordo com a gerente de endemias do município, Patrícia Godói, a cada dez locais visitados, oito possuem focos de contaminação do mosquito.

“É uma situação alarmante e precisamos da ajuda da população”, disse.

E os índices altos ocorrem justamente em decorrência do período chuvoso e da sazonalidade, que naturalmente influenciam na quantidade de pessoas doentes.

Durante este período, 170 agentes comunitários de endemias estão designados para uma força-tarefa, que consiste em visitar locais que podem ser focos de contaminação.

“Nosso trabalho não para, mas o combate à dengue e outras doenças causadas pelo Aedes aegypti é uma via de mão dupla. É fundamental o apoio e conscientização da população”, pontua Patrícia.

Além disso, a orientação é que os moradores da cidade adotem sempre as medidas necessárias para evitar a reprodução do mosquito.

Dentre os cuidados estão: não deixar água parada em pneus, lajes e calhas; limpar constantemente as caixas da água, não descartar lixo em terrenos baldios e fazer uso de cloro na piscina.

Aqueles que sentirem sintomas de dengue, como dor no corpo e febre, também devem qualquer unidade de saúde para receber acompanhamento médico.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.