Rodrigo Maia critica ideia de Lira de mudar Lei das Estatais para facilitar nomeação para cargos

Lira defendeu a mudança a revisão da Lei das Estatais para tratar da privatização da Petrobras um dia depois de o empresário Adriano Pires desistir de assumir a presidência da petrolífera

Folhapress -
Rodrigo Maia (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

(FOLHAPRESS) – O ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (PSDB-RJ) critica a ideia de seu sucessor, Arthur Lira (PP-AL), de mudar a lei das estatais para facilitar a nomeação para cargos como o de presidente da Petrobras.

“É uma lei muito boa, que tem regras exatamente para proteger a gestão das estatais. Se a cada obstáculo for mudada, vamos ter perda de qualidade e transparência no processo de escolha dos gestores”, diz ele, que presidia a Casa quando a lei foi criada, em 2016.

Lira defendeu a mudança a revisão da Lei das Estatais para tratar da privatização da Petrobras um dia depois de o empresário Adriano Pires desistir de assumir a presidência da petrolífera.

Lira negou ter qualquer tipo de relação com Pires, sócio da consultoria CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura), que presta serviços a clientes e concorrentes da Petrobras.

Na avaliação do presidente da Câmara, o sistema estabelecido pela Lei das Estatais é “complicado”.

“Eu acho que o Congresso precisa se debruçar sobre isso. A Petrobras, além de ser uma S/A, ela não pode desconhecer que é uma empresa majoritariamente estatal. Ela é do governo, que é o acionista majoritário. O governo não pode ser responsabilizado por tudo que ela faça de errado, sem explicações”, disse.

Em posição divergente, por sua vez, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou que a legislação não apresenta problemas e que por isso não deveria passar por alteração.

Pacheco também defendeu a Petrobras: disse que a empresa gera dividendos para a sociedade e por isso não deveria ser alvo de discussões de privatização nesse momento.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.