Suspeito de sequestrar motorista de app em Goiânia está preso e pode ter cometido outros crimes

Profissional voltou às ruas no dia seguinte mesmo sendo roubado pela dupla de criminosos

Augusto Araújo -
Imagem de homem suspeito de ter cometido extorsão qualificada em Goiânia. (Foto: Divulgação/PC-GO).

A Polícia Civil (PC) de Goiânia prendeu nesta sexta-feira (08) um homem suspeito de ser um dos membros de uma dupla que teria sequestrado e extorquido um motorista de aplicativo na capital.

Segundo a investigação, Divino Ramos, de 54 anos, que conduzia o veículo, foi acionado por volta das 21h50 do dia 18 de fevereiro para fazer o transporte do casal investigado, que se encontrava em uma das saídas do shopping Flamboyant.

Assim que chegaram ao destino da corrida, no Setor Rosa dos Ventos, em Aparecida de Goiânia, o homem sacou uma arma e mandou o motorista encerrar a corrida e desligar o carro.

Antes de ser colocada no porta-malas, a vítima foi forçada a passar as senhas de cartões de bancos. O celular e R$ 180 em espécie também foram roubados.

Além de saques nas contas de Divino, os criminosos também fizeram compras usando o dinheiro dele no comércio da cidade.

Filho conta

Jornalista da BandNews e filho da vítima, Gustavo Ramos explicou que só por volta das 02h40 do dia seguinte o pai conseguiu entrar em contato com a família e informar o sequestro.

“Ele me disse que só aceitou fazer a corrida porque estava se sentindo meio mal e, por ser perto de onde moramos, ele já iria voltar para casa”, disse ao Portal 6.

Gustavo também contou um relato curioso feito pelo pai. O sequestrador teria sido, de certa forma, “respeitoso” ao abordá-lo.

“Ele disse que não sofreu agressões físicas nem verbais. Ele ajudou meu pai a entrar no porta-malas e deu o braço para tirar ele lá de dentro”, detalhou.

“Quando liberou ele, em Senador Canedo, o rapaz deu as orientações para que ele pudesse entrar na rodovia e voltar para Aparecida”, complementou.

O suposto autor do crime foi identificado pela equipe policial, localizado e preso preventivamente. A coautora do sequestro também teve a identidade confirmada e deverá ser indiciada.

A PC divulgou a imagem do homem detido porque ele é suspeito de praticar outros crimes de extorsão qualificada na capital é a divulgação poderá ajudar novas vítimas a fazerem o reconhecimento.

Apesar da experiência traumática, Gustavo disse que Divino não deixou as ruas. “No dia seguinte ele já comprou um novo celular e voltou a trabalhar normal”, afirmou.

Esta, inclusive, não teria sido a primeira vez que o motorista sofreu violência durante o trabalho.

Segundo o filho, ele já teria levado um soco no rosto de uma passageira após negar uma parada não programada durante a corrida.

“Ele até registrou uma ocorrência na delegacia, mas acabou não dando em nada”, lamentou Gustavo.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade