Em Goiás, 28 mil crianças foram registradas sem o nome do pai em 6 anos

No período, foram contabilizados mais de 511 mil nascimentos. Média goiana é idêntica à nacional

Lucas Tavares -
Em decisão da Justiça, as duas mães e o pai terão direito de ter o nome na certidão de nascimento do filho. (Foto: Agência Brasil)

Nos últimos seis anos, Goiás registrou mais 511.158 nascimentos, destes, 28.437 crianças não possuem o nome do pai na certidão de nascimento.

A quantidade representa 5,5% do total de registros no estado, exatamente igual à média brasileira.

O que chama a atenção é que apenas quatro municípios goianos, de 246, são responsáveis por mais da metade desse contingente.

São eles: Goiânia, Aparecida, Anápolis, Rio Verde e Jataí. Confira a lista abaixo.

Os quatro primeiros não surpreendem por se tratarem dos municípios mais populosos do estado.

No entanto, Jataí, com pouco mais de 100 mil habitantes, figura na lista com o impressionante índice de 12% de abandono paterno, bem acima da média estadual.

Este fenômeno, que abrange diversas famílias em todo território nacional, é acompanhado pelo Portal de Transparência do Registro Civil Nacional, que desde 2016 realiza esse levantamento.

A nível Brasil, são quase 17 milhões de nascimentos desde 2016, sendo que 931.976 não possuem qualquer ligação com os pais.

Confira a lista dos municípios goianos com maior número de pais ausentes desde 2016:

  1. Goiânia – 6.543
  2. Aparecida de Goiânia – 3.294
  3. Anápolis 2.946
  4. Jataí – 1.147
  5. Rio Verde – 828

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.