Prefeitura de Goiânia vai reconstruir asfalto do Eixo Anhanguera após acordo com a Metrobus

Documento prevê intervenção em 28 quilômetros de pavimento, do Terminal Padre Pelágio ao Novo Mundo

Rafael Tomazeti -
Asfalto do Eixo Anhanguera é de 1976. (Foto: Divulgação/Seinfra)

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) de Goiânia será a responsável pela reconstrução do asfalto do Eixo Anhanguera. Um termo de acordo com a Metrobus foi assinado nesta segunda-feira (09) e garante ações de manutenção e intervenções para restauração do pavimento.

A negociação entre Paço Municipal e Estado começou ainda em março. Segundo a prefeitura, foram analisados parâmetros técnicos e cronogramas de desenvolvimento das obras. Ao todo, 28 quilômetros de asfalto serão restaurados, entre os terminais Padre Pelágio e Novo Mundo.

“É uma via muito importante, extensa, com 28 quilômetros – considerando os dois sentidos, com um dos maiores sistemas de transporte de passageiros de Goiânia e Região Metropolitana. Portanto, são necessárias estratégias específicas para o cumprimento das metas”, explica o secretário de Infraestrutura de Goiânia, engenheiro Everton Schmaltz.

A restauração do pavimento é parte importante das obras de melhoria do transporte coletivo da capital. A própria Secretaria-Geral da Governadoria (SGG) tratava o  tema como fundamental, além das mudanças que reinstituíram a Câmara Deliberativa dos Transportes Coletivos (CDTC) e a criação de novos produtos tarifários, como o Bilhete Único.

Cronograma

O asfalto do Eixo Anhanguera foi construído ainda em 1976. Entre junho e novembro deste ano, a Seinfra vai executar serviços de fresagem e recapeamento de toda a extensão do Eixo Anhanguera, entre os terminais Padre Pelágio e Jardim Novo Mundo.

A segunda etapa acontecerá entre os meses de agosto de 2023 e julho de 2024, quando haverá obras de reconstrução do pavimento em toda a extensão do Eixo Anhanguera, conforme solução técnica determinada em decisão judicial.

A pasta garante ainda que haverá manutenções rotineiras, como tapa-buracos ou outras medidas emergenciais que se fizerem necessárias para sanar riscos pontuais ao longo de todo o Eixo, independentemente do período climático, seco ou chuvoso.

Tais serviços, que incluirão a limpeza e retirada de detritos próprios da operação, serão realizados mediante solicitação da Metrobus, que ficará responsável pelo monitoramento do pavimento, indicando à Seinfra os locais exatos das intervenções emergenciais que surgirem.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade