Aumento dos casos de Covid-19 pode obrigar novos lockdowns como na China?

Infectologistas apontam caminhos para evitar modelo que vem sendo adotado no país onde a pandemia começou

Augusto Araújo -
Especialista apontam o que se deve fazer para evitar modelo que vem sendo adotado no país onde a pandemia começou. (Foto: Reprodução/Montagem Portal6)

Com um número crescente de contaminações por Covid-19 em Goiás, uma preocupação ressurge entre a população: existe a possibilidade de um novo lockdown no estado, assim como vem acontecendo no último mês na China, onde 25 milhões de pessoas estão sendo mantidas isoladas em casa, na cidade de Xangai?

O modelo chinês, conhecido como Covid Zero, recebeu críticas, inclusive, da Organização Mundial de Saúde (OMS), que considerou a insustentabilidade de manter um isolamento tão severo no país mais populoso do mundo, com densas áreas metropolitanas.

Ao Portal 6, o médico Marcos Moura, membro da Sociedade Brasileira de Infectologia, tratou de tranquilizar a população e ressaltou que a probabilidade de medidas tão rígidas no país e em Goiás é muito baixa.

“Hoje nós temos no Brasil um número grande de testagens contra o vírus e não tem necessariamente muita gente ficando doente.”

“Estamos com uma boa campanha de vacinação e já chegamos até a quarta dose em alguns casos. O que acontece nesses outros países é que a população parou de se imunizar e por isso a doença voltou com toda essa força”, complementou.

A infectologista Juliana Barreto também aponta que as restrições sanitárias dificilmente voltarão com severidade.

Contudo, ela ressaltou que o vírus não pode ser subestimado.

“Nunca podemos dizer ‘nunca’ para essa doença. Ela tem que ser avaliada rotineiramente, para definir as orientações de saúde para a população, que também tem que fazer a sua parte e se vacinar”.

Profissional da mesma área, Marcelo Daher destacou que um novo aumento de casos de Covid-19 já era esperado, ainda mais considerando as características das cepas que estão em circulação atualmente.

“O vírus vem ganhando habilidade para se transmitir mais facilmente e consegue infectar tanto as pessoas que já tiveram a doença recentemente quanto as que se imunizaram. Isso nos preocupa e mostra que temos que ter atenção [com a Covid-19]”.

Embora tenha apontado que existe um grande aumento no número de registros de contaminações, Daher afirmou que as taxas de mortalidade não devem seguir a mesma tendência devido ao sucesso do programa de imunização no Brasil.

Esse dado já pode ser verificado nos registros da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Desde a Semana Epidemiológica 16 de 2022 (SE 16), entre os dias 17 e 23 de abril, e a SE 19, entre 08 a 14 de maio, o número de contaminações em Goiás saltou de 1.207 para 2.854 (aumento de 136,45%).

Entretanto, os índices de mortalidade caíram no mesmo período, saindo de 12 casos na SE 16 para cinco na SE 19.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade