“Ninguém previa que aquele era o último dia dela”, lembra mãe de vítima de acidente em Anápolis

Silvia Martins recorda dos momentos em que recebeu a notícia da morte da filha

Isabella Valverde -
Thaís estava saindo do trabalho quando foi atropelada por um motorista embriagado. (Foto: Reprodução)

Silvia Martins, mãe da jovem Thaís, de 24 anos, que morreu após ter sido atropelada por um motorista embriagado em 2020, se emocionou ao lembrar da tragédia que vitimou a filha dela há cerca de dois anos, em Anápolis.

Era uma quinta-feira comum. Ela se arrumou para o trabalho, mas não voltou. “Ninguém previa que aquele era o último dia dela, que aquela era a última tarde dela”, disse Silvia.

O alerta só veio quando uma amiga da moça ligou para a irmã mais nova dela e perguntou se Thaís dormiu em casa. Em seguida, a notícia que trouxe desespero chegou ao portão.

Num primeiro momento, Silvia achou que a filha tinha se ferido e não esperava perdê-la. “É uma notícia que a gente não quer nunca ouvir na vida”.

Morte precoce

No dia da tragédia, a moça tinha acabado de sair do trabalho, quando o condutor que estava dirigindo na contramão pela BR-060 tirou a vida dela depois de atropelá-la.

O relato foi produzido pela Delegacia de Investigação de Crimes de Trânsito (DICT) de Anápolis e compartilhado pelo delegado titular, Manoel Vanderic, nas redes sociais.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade