Anapolino coordena projeto da OAB para desmentir fake news nas eleições

Ferramenta vai auxiliar a combater desinformação e caberá à Ordem avaliar possíveis crimes

Lucas Tavares -
Sede da OAB Goiás. (Foto: Divulgação/OAB-GO)

Uma das principais preocupações para as eleições de 2022, em Goiás e no Brasil, é a disseminação de fake news. Para combater essa prática, a Comissão Especial de Combate à Desinformação e Corrupção Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a UniEVANGÉLICA lançaram um o movimento “Eleições de Fato”.

A iniciativa utiliza do método “fact checking” que, por meio de apuração jornalística, realiza um diagnóstico da notícia, mostrando o que é fato e o que é fake.

Professor e coordenador dos cursos de Comunicação Social na UniEVANGÉLICA, Luiz Eduardo Kruger explicou como a instituição vai colaborar com o projeto.

“A UniEVANGÉLICA lançou um projeto de extensão para que alunos dos cursos de Comunicação Social, e de outros cursos também, possam atuar, sub supervisão de um professor, na checagem e apuração”, disse.

Tudo começa a partir de uma denúncia. A equipe de comunicadores, então, realiza todo o processo para verificar se a as informações contidas nas publicações são verídicas.

“O nosso papel é de fact checking, somente. Não entramos no mérito político ou jurídico. Simplesmente verificamos se a notícia é verdadeira ou falsa”, continua Luiz Eduardo Kruger.

A etapa seguinte é comandada pela Comissão Especial da OAB que deve avaliar se há crime ou não, divulgar os resultados e tomar as providências necessárias.

Além da OAB e da UniEVANGÉLICA, a parceria inclui o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade