Portal 6

Movimento

O fim da reeleição no Brasil para cargos executivos foi aprovado ontem (27) na Câmara dos Deputados, em primeiro turno. O placar foi assustador. Por 452 x 19, os políticos que se elegerem a partir de 2016 não poderão mais disputar uma dobradinha no cargo. Infelizmente, a reeleição, criada em 1997 com o intuíto de dar possibilidade de mais um mandato ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, veio a ser um experiência ruim para o país.

Problema

O problema em si nem é a reeleição. Mas os políticos que “fizeram” o diabo para permanecer no poder, se valeram daquele básico estelionato eleitoral e da máquina pública durante as campanhas. Como não se pode acabar com os políticos. É melhor tirar-lhe o doce mesmo.

Reforma dos goianos 1

A revisão do atual sistema político tem mais mantido o atual status quo do que mudado alguma coisa. Mas chama a atenção como os deputados goianos votaram, por exemplo, amendas do distritão e doação de campanha. O PSDB e PT indicaram a seus deputados a votar contra o tal do “distritão”, que estabeleceria eleições praticamente majoritárias para as cadeiras da Câmara. Porém, os deputados tucanos, em sua maioria, votaram a favor. Apenas João Campos, que consegue votos de igreja em igreja por toda a Grande Goiânia e Região Metropolitana, votou conforme a orientação partidária. Até aí normal. Foi fiel ao partido não só por disciplina, mas, com certeza, por interesse também.

Reforma dos goianos 2

Porém, um que foi muito do obediente obediente ao partido, não precisava sê-lo. Rubens Otoni, do PT, logrou suas eleições à Câmara dos Deputados quase que exclusivamente à Anápolis. Em 2010, por exemplo, teve quase 80% dos votos na cidade. Mas votou contra o distritão. A obediência do deputado também o levou, não vamos esquecer, a votar o ajuste fiscal do jeitinho como queria o Planalto. Aumentando de seis para um ano o prazo para acionar o seguro desemprego.

Viaduto

É… parece que mais viadutos serão construídos na cidade. E até que são necessários mesmo, dado ao inferno que virou o trânsito em Anápolis. Serão duas as obras. Todas passando na Avenida Brasil, passando pela Goiás e Barão do Rio Branco. A novidade é que o projeto prevê o chamado “viaduto estaiado”.

O “viaduto estaiado” é mais rápido e, aparentemente, mais simples de ser construído. Ele é suspenso por cabos e esses cabos, afixados em um mastro, sustentam toda a estrutura de concreto.

Contrato

A prefeitura não orçou um valor para o contrato porque recorreu a um regime diferenciado, o RDC, mesmo usado nas construções da Copa e Olimpíadas, onde apenas apresenta o projeto e deixa para as empresas dizerem quanto cobrariam para executá-lo.

O lance presencial está marcado para 2 de junho. A obra tem previsão mínima de dois anos.

Aproveitando…

Esse papo de obras, quando decidirem terminar o Centro de Convenções de Anápolis, por favor, encarecidamente, por generosidade: não peçam para alguém pintar um painel e depois permitam fazer todo um auê ridículo para removê-lo. O que aconteceu com o do Oscar Niemeyer foi surreal. Nunca na história desse estado, nem daquela capital, se reservou tanto tempo a debater algo tão dispensável. Gente que não entende nem de pintura a giz de cera, discutir se o trabalho do Bicicleta Sem Freio é arte ou não faz doer a cabeça de qualquer pessoa com bom senso.

Um anador, por favor.

Quer comentar?

Comentários

3 comments

  • I loved as much as you’ll receive carried out right here.

    The sketch is tasteful, your authored material stylish.
    nonetheless, you command get got an edginess over that you
    wish be delivering the following. unwell unquestionably come further formerly again as exactly the
    same nearly a lot often inside case you shield this increase.

  • Simply want to say your article is as astounding. The clarity in your post is simply nice and i could assume you’re an expert on this subject.
    Fine with your permission allow me to grab your feed to keep updated
    with forthcoming post. Thanks a million and please continue the gratifying
    work.

Nosso Twitter

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.