Promotor está pedindo de seis a 20 anos de prisão para cunhado de Ana Hickmann

Representante do Ministério Público alega que Gustavo Corrêa cometeu "abuso de legítima defesa" ao dar três tiros na nuca do fã que queria matar apresentadora

Denilson Boaventura -

O episódio de horror vivido pela apresentadora Ana Hickmann está longe de terminar.

Em 2016, Rodrigo Augusto de Pádua entrou em um hotel de Belo Horizonte, onde estava Ana Hickmann, e conseguiu entrar dentro do quarto dela após render Gustavo Corrêa, cunhado da ex-modelo. Com uma arma na mão, o rapaz ameaçou todos de morte e até conseguiu atirar na irmã da apresentadora, mas acabou entrando em luta corporal com Gustavo e morto com três tiros na nuca. Relembre o caso.

É justamente pela forma como tudo terminou que o promotor Francisco de Assis Santiago, do 2º Tribunal do Júri do Fórum Lafayette, está alegando “abuso de legítima defesa” no processo e já adiantou à imprensa que vai pedir de seus a 20 anos de prisão para o cunhado da apresentadora.

A tese sustentada pelo promotor precisa ser aceita pela juíza Âmalin Aziz Sant’ana para que o caso vá a juri popular.

Os advogados de Gustavo Corrêa, que prestou depoimento em Minas Gerais nesta segunda-feira (18), usam no processo uma perita contrata pela defesa e o testemunho de um funcionário do hotel para corroborar a linha de que o fã foi morto para não matar mais pessoas.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.