24% dos jovens de Goiás não estudam e nem trabalham

O levantamento é resultado de uma pesquisa desenvolvida pela Universidade Federal de Goiás e denomina os homens e mulheres nesta situação de "nem, nem"

Carlos Henrique -

Um levantamento divulgado pela Universidade Federal de Goiás (UFG) constatou que 15% das mulheres e 9% dos homens goianos entre 15 e 24 anos não estudam nem trabalham.  A base dos dados é o Censo Demográfico de 2010 das regiões metropolitanas do Brasil.

Apesar do número elevado, Goiás está entre os estados com menor taxa de jovens chamados de “nem, nem”. Entre os principais fatores que levam as mulheres a entrarem neste grupo é ser casada, ter filhos e idade acima de 19 anos.

Já com relação aos homens, os fatores que ajudam para que estes estejam fora do mercado de trabalho e da escola formal é a presença de renda de aposentadoria em domicílio e a idade entre 18 e 24 anos.

Um fato curioso da pesquisa foi a identificação da influência materna na entrada dos jovens ao mercado de trabalhoou em instituições de ensino formais. De acordo com o levantamento, as mãe que completaram o ensino superior tendem a incentivarem os seus filhos a seguirem uma carreira ou procurar emprego.

Outra variável descoberta pela pesquisa é que mães de religião “cristã” também influenciam seus filhos a saírem do “nem, nem”.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.