Anápolis permanece sitiada por bloqueios em rodovias

Polícia Militar Rodoviária Estadual e PRF acompanham de perto as ações de caminhoneiros grevistas e dos chamados 'intervencionistas', que se uniram ao movimento

Danilo Boaventura -

O esperado pelas forças de segurança em Anápolis não aconteceu. Caminhoneiros grevistas e grupos de apoio não só não saíram das estradas como estenderam as concentrações nas rodovias estaduais e federais que cortam a cidade.

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária Estadual, há pontos de bloqueio de pista pelas GO’s 220, que liga Anápolis a Nerópolis, e 330, que dá acesso às cidades de Ouro Verde e Leopoldo de Bulhões.

Nas BR’s 060 e 153, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os agrupamentos de caminhoneiros e apoiadores permanecem na altura do Posto Presidente e Posto Brasil, localizados nas saídas Sul e Norte da cidade, respectivamente.

No entanto, ainda segundo a PRF, surgiram também pontos de bloqueios na altura de Alexânia, na BR-060, e em Jaranápolis, pela BR-153.

Ambas corporações rodoviárias permanecem monitorando as ações de caminhoneiros grevistas e dos chamados ‘intervencionistas’, que também se uniram ao movimento.

Carreata

No início da noite desta segunda-feira (27), aos gritos de “Fora Temer” e pedidos “Intervenção Militar”, foi iniciada uma carreata relâmpago pela cidade. Os ‘intervencionistas’ se concentraram na Praça Dom Emanuel e de lá saíram em carreata até o Posto Presidente.

https://portal6.com.br/2018/05/28/grupos-que-querem-renuncia-de-temer-e-intervencao-militar-fazem-carreata-relampago-em-anapolis/

Segundo o Comando de Policiamento Urbano do 4º Batalhão da Polícia Militar, mesmo não sendo avisada previamente pelos organizados, a corporação colocou viaturas para acompanhar o ato, considerado pacífico, e que contou com cerca de 90 veículos, também segundo a Polícia Militar.

Pelo Twitter, internautas ficaram divididos sobre a carreata relâmpago. “A gasolina em Anápolis acabou e o povo fazendo carreata. Bem espertos”, ironizou um usuário. “Meu país Anápolis tá fazendo buzinaço, ouço hino nacional. Lindíssimo, continua”, escreveu outro.

Em tempo

Apesar do presidente Michel Temer ter cedido e anunciado no último domingo (27) o congelamento por 60 dias e a redução do preço do diesel na bomba em R$ 0,46 por litro, o protesto dos caminhoneiros continua.

O desabastecimento nos postos de Anápolis já é uma realidade e, por conta disso, a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) decretou recesso por tempo indeterminado em todos os colégios estaduais até que a situação volte à normalidade.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.