Portal 6

A desculpa apresentada por promoter de Anápolis para ver adolescente nu

(Foto: Divulgação / 4º BPM)

Garoto de 14 anos queria apenas uma vaga como menor aprendiz e mãe tomou atitude certa

O promotor de eventos de 27 anos que foi preso no último sábado (07) suspeito de abusar sexualmente de um adolescente de apenas 14 anos em uma seleção para menor aprendiz nega que cometeu o crime.

De acordo com a delegada Kênia Segantini, titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Anápolis, ele afirmou em depoimento que pediu “apenas para que ele ficasse nu para tirar as medidas do uniforme”.

“Ele negou qualquer ato libidinoso, qualquer toque íntimo. Disse que tudo isso foi para que ele pudesse experimentar os uniformes”, disse ao Portal 6.

Conforme Kênia, agora a investigação busca entender se realmente existe uma empresa de eventos ou até mesmo se outras pessoas foram passaram pelo mesmo constrangimento.

Isso porque um primo da vítima, de 15 anos, também contou à polícia que passou pela mesma entrevista e foi submetido a perguntas inadequadas e, em seguida, se negou a tirar a roupa.

A vítima no entanto, obedeceu ao pedido pensando que se tratava da política da suposta empresa e que só contou tudo para a mãe quando sentiu toques nas partes íntimas.

Ainda não há detalhes sobre o conteúdo de pornografia infantil que teria sido encontrado no celular do suspeito.

DPCA vai investigar caso de adolescente que foi abusado em seleção para menor aprendiz

Quer comentar?

Comentários

Nosso Facebook

Nosso Twitter