Gepatri investiga se empregado furtou remédios no DAIA para revender

Polícia também quer saber se comprimidos estavam aptos para consumo

Da Redação -

O Grupo Especial de Repressão a Crimes Patronais (Gepatri) de Anápolis deflagrou na manhã desta sexta-feira (09) uma operação que cumpriu mandados de apreensão em três farmácias da cidade.

Em todos os estabelecimentos foram encontrados medicamentos que foram adquiridos sem nota fiscal e bula.

A principal suspeita dos investigadores é que um funcionário da Brainfarma, que não teve a identidade revelada, tenha subtraído os remédios e revendido aos proprietários das farmácias por um preço abaixo do valor de mercado.

Na casa do suspeito, localizada no Jardim Itália, região Leste da cidade, também estavam guardados uma quantia considerável de medicamentos, como Alivium e Coristina D. O número exato de comprimidos não foi divulgado.

Segundo o Gepatri, os agentes estão em contato com a empresa para saber se as cartelas foram furtadas ou se chegaram a ser descartadas por estarem impróprias para consumo.

Tanto a lista das farmácias alvos da operação quanto o nome do funcionário deverá ser mantido em segredo até que a polícia receba um posicionamento oficial da Brainfarma.

A reportagem do Portal 6 tentou contato com a assessoria de comunicação da empresa para comentar o episódio, mas não recebeu nenhum retorno até o momento desta publicação.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.