Portal 6

Presas, mulheres são suspeitas de participarem de cruel assassinato

(Foto: Divulgação)

Vítima era motorista de aplicativo e crime foi registrado por câmeras de segurança

A Polícia Civil, através Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc) e Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), prendeu duas mulheres na manhã desta sexta-feira (18), na Vila Góis, região Central de Anápolis.

De acordo com a corporação, Daiane das Chagas Barroso, de 29 anos, e Núbia Vieira da Mota, de 34 anos, tinham mandados de prisão em aberto por suspeita de participarem da morte de Carlos Alberto Domingues, de 32 anos, no último dia 24 de julho, no Parque Brasília.

A vítima havia sido presa pelo GENARC na Operação Tártaro, deflagrada em conjunto com o GIH em setembro de 2018. Porém, após sair da prisão, começou a trabalhar como motorista de aplicativo.

Conforme apontou as investigações, ele recebeu uma ligação para fazer uma corrida e foi morto a tiros assim que estacionou em uma calçada. Imagens de câmeras de segurança mostraram o momento da execução.

Há três meses, o mesmo carro utilizado no crime foi apreendido e dois homens, que não tiveram a identidade divulgada, também chegaram a ser presos.

Como as duas mulheres ainda eram investigadas por tráfico de drogas, o Genarc, com informações do GIH, conseguiu encontrar na residência delas porções de cocaína embaladas, prontas para a comercialização.

Além do cumprimento do mandado de prisão pelo homicídio, os policiais prenderem Daiane em flagrante pela posse da droga.

Ação da PM poderá ajudar a resolver crime que chocou Anápolis

Quer comentar?

Comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.