Portal 6

Suspeito de explodir bomba em casal de Anápolis, homem é preso por assassinato

(Foto: Reprodução / TV Anhanguera)

Ao Portal 6, TJ-GO explicou porque ele já não estava na cadeia

A Polícia Militar (PM) de Goiânia prendeu nesta terça-feira (03) um homem de 37 anos que confessou ter matado um motorista de aplicativo com um golpe de faca.

A vítima, identificada como Ismael Ribeiro, tinha 55 anos e estava trabalhando na plataforma há uma semana.

Imagens colhidas pela polícia mostram o suspeito, Uingles Queiroz Costa, colocando um capuz, atingindo o motorista, que aguardava por um passageiro, e fugindo.

Mesmo ferido, Ismael dirigiu na contramão até um hospital, que fica há 200 metros do local do crime. Ele bateu com o veículo no vidro da recepção e foi socorrido, mas não resistiu.

Essa, no entanto, não é a primeira vez que Uingles tem problemas com a Justiça. É que ele foi preso em 2013 suspeito de cometer outros dois crimes.

O primeiro aconteceu Avenida Barão do Rio Branco, no Centro de Anápolis, quando um casal aguardava que o semáforo se abrisse e um ciclista, que seria Uingles, atirou uma bomba dentro do carro, que explodiu em segundos.

A cena foi toda gravada por câmeras de segurança e, na época, a garota teve 42% do corpo queimado, e o namorado 32%. Ambos ficaram internados por vários dias na UTI do Hospital de Queimaduras da cidade.

Dias depois, o homem, que é catador de materiais recicláveis, foi pego em flagrante por ter explodido uma bomba caseira dentro de um ônibus.  Na ocasião, ele confessou o episódio do ônibus, mas negou ter jogado a bomba no casal de Anápolis.

Uingles chegou a ser condenado pela Justiça a quatro anos de reclusão pelo ataque ao transporte coletivo. Já o caso envolvendo o casal foi arquivado.

Ao Portal 6, o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) informou que o arquivamento se deu após o réu ter sido diagnosticado com esquizofrenia e, em maio de 2015, tido a pena alterada por uma medida de segurança para a realização de um tratamento no Programa de Atenção Integral ao Louco Infrator (Paili).

No entanto, Uingles nunca foi encontrado e o programa sugeriu que a medida fosse extinta, uma vez que no período de dois anos não foi apurado nenhum fato ilícito cometido por ele.

Quer comentar?

Comentários




Nosso Twitter

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.