Portal 6

Programa que incentiva a exportação deve gerar mais de 2 mil empregos em Goiás

expor
(Foto: Reprodução)

Um dos segmentos a serem favorecidos com a iniciativa é o comércio lojista, onde atuam quase 30 mil micro e pequenas empresas

Mais de duas mil vagas de trabalho devem ser criadas em Goiás, nos próximos dois anos, com a entrada de 500 novas empresas do estado no mercado internacional, exportando produtos genuinamente goianos. A projeção é do governo estadual e, segundo a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Goiás (FCDL-GO), deve se concretizar abrindo portas também no comércio lojista, que tem quase 30 mil empresas do ramo cadastradas nas cerca de 70  Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDLs) espalhadas pelo Estado.

Para viabilizar esse plano, a FCDL-GO vai atuar com o Governo de Goiás e o Sebrae na identificação de micro e pequenos empreendedores com potencial de exportação e na prospecção de mercados externos para absorver a produção goiana. É um trabalho que passará também pela capacitação dos empreendedores regionais para lidar com padrões de embalagem, código de barra e legislações vigentes para o comércio exterior, dentro da logística usual de exportação.

“A exportação é uma prática no mercado que tem todo o potencial para gerar maior valor agregado e competitividade aos produtos goianos no comércio internacional. Acredito que deve haver um esforço permanente do poder público e das instituições privadas para inserir no mercado externo também os empreendedores de baixa renda, que contribuem ativamente para a economia dos municípios”, comenta o presidente da FCDL-GO, Valdir Ribeiro.

E é esse o foco do Programa Exportação Estrutura (PEE), que será lançado pelo Governo de Goiás nesta sexta-feira  (13). A iniciativa visa a ampliar o número de empresas goianas que vendem para mercados estrangeiros, bem como acelerar o impacto dessa abertura econômica na distribuição de renda.

Como funciona

O programa é dividido em três eixos. Um deles é chamado de À moda de Goiás e está centrado no aumento das exportações de produtos da indústria têxtil e de outros bens do consumo com potencial de exportação que carreguem consigo a identidade regional do Estado de Goiás.

A preparação das empresas de perfil compatível com o eixo À moda de Goiás ficará a cargo da FCDL-GO e da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação (Sedi). O Programa Exportação Estruturada tem ainda dois braços. O eixo AgroExport busca dar destinação internacional à produção do pequeno empreendedor rural; e o eixo E-comex, tem o objetivo de expandir para fora do País o comércio eletrônico feito por micro e pequenos empreendedores goianos da indústria, comércio e agronegócio.

Além da FCDL-GO, o PEE também tem como parceiros estratégicos instituições como o Sebrae, Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) e Associação dos Jovens Empreendedores e Empresários (Aje) de Goiânia. O Programa Exportação Estruturada terá a duração de dois anos.

Quer comentar?

Comentários






Nosso Twitter

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.