Portal 6

Tinha vergonha até de se olhar no espelho e ganhou transformação radical

(Foto: Divulgação)

Ação foi realizada por vários profissionais da cidade e resultado ganhou as redes sociais

Repercute fortemente nas redes sociais em Anápolis o emocionante caso de Leidiane Rosa Vidal, de 34 anos, que foi acolhida por vários profissionais da cidade e passou por uma verdadeira transformação.

A iniciativa foi da influenciadora digital Kelly Pires, que durante uma conversa com Francielle Aires e Cristiano Cardoso, que atuam no salão Beauty Haus, decidiram montar uma espécie de concurso, batizado como “Espelho, espelho meu“.

“A princípio era maquiagem, penteado e passar o dia no salão. Como a Kelly é influente, começou a falar com alguns parceiros que decidiram ajudar, já que se tratava de mulheres com autoestima baixa. E o intuito é esse de resgatar a autoestima de uma mulher que tenha uma história bacana”, explicou Francielle Aires ao Portal 6.

“Normalmente a Kelly posta no Instagram e pede para o pessoal marcar nos comentários uma pessoa que mereça a transformação e o motivo. Daí ela, eu e o Cris analisamos as histórias e escolhemos três finalistas. A Kelly então colocou para votação e o público que escolheu quem deveria ganhar”, acrescentou.

De acordo com Francielle, essa foi a segunda transformação feita pelo grupo e a expectativa é que sejam realizadas, daqui para frente, outras ações semelhantes ao menos duas vezes a cada ano.

“A Leide tomou banho de banheira, fez unha, maquiagem, cabelo, ganhou jantar e terminou a noite no hotel Nobile Inn London. A dentista Lilian Maia deu as próteses, a doutora Kamilla Lacerda fez a harmonização facial, o pessoal da Cheron fez a parte química e de corte do cabelo e a nutricionista Sara Barros cuidou da alimentação. Também tiveram outros parceiros que deram roupas e sapatos e a Vip Cosméticos deu um kit para ela continuar se cuidando”, detalhou.

Todo os os envolvidos na mudança de Leidiane se surpreenderam com o resultado, que foi gravado e divulgado nas redes sociais. Ela, que tinha vergonha da própria aparência, voltou a sorrir.

“As vezes isso é algo supérfluo para gente, mas para quem não tem condições é muito diferente. A Leide não tinha mais espelho em casa, porque não se olhava. Ela não tinha batom e tinha vergonha do sorriso dela. No jantar ela estava sorrindo e super contente. Então a ideia é essa, resgatar a autoestima de alguém que perdeu a alegria de se olhar”, disse Francielle.

Quer comentar?

Comentários