PublicidadePublicidade

O que avançou e o que não avançou na Mobilidade de Anápolis em três anos

Metas para a área constam em plano de governo registrado no TSE

Denilson Boaventura Denilson Boaventura -
Jardim das Américas, na região Leste de Anápolis. (Foto: David Dourado)

A Companhia Municipal de Trânsito e Transportes (CMTT) e a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos compartilham as responsabilidades sobre o Trânsito, Transporte e Mobilidade, em Anápolis.

Para a área, Roberto Naves (Progressistas) estabeleceu cinco propostas quando era candidato a prefeito, em 2016, e em três anos conseguiu cumprir integralmente duas.

Uma está em andamento e as demais não têm perspectivas de execução pela autarquia e a pasta de Obras e Serviços Urbanos durante esta gestão.

Todas elas constam no plano de governo registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que o Portal 6 esmiuçou e até o final do mês mostrará o que saiu e o que não saiu do papel.

(Infográfico: Denilson Boaventura)

⚠ PROMESSA AINDA EM ANDAMENTO:

Primeiro, fazer o básico: em 04 anos pavimentar todas as ruas com no mínimo 30% de obras construídas na cidade. Pavimentação não deve ser entendido com um serviço isolado, uma vez que, graças a sua implementação permite acesso a serviços de saúde, limpeza pública, transporte urbano, valorização do imóvel e melhoria das condições de vida da população.

A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos informou apenas que alguns bairros foram asfaltados, mas não detalhou o percentual concluído nem o que ainda falta.

Afirmou, porém, que obras de drenagem e pavimentação serão realizadas no Bom Sucesso, GranVille, Jardim Promissão, Laranjeiras/Vivian Parque, Monte Sinai, Ana Carolina, Polocentro e Jardim Primavera assim que o período chuvoso acabar.

Contrato assinado em 2018 pela Prefeitura de Anápolis garantiu investimentos de cerca de R$ 40 milhões do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 28 milhões em contrapartida do próprio município para obras de infraestrutura.

Serviço de de drenagem e pavimentação ocorre durante todo o ano. (Foto: Reprodução)

❌ PROMESSA NÃO CUMPRIDA:

Construção de ciclovias ligando os bairros ao centro como forma de oferecer uma opção econômica e saudável para o deslocamento na cidade. Além disso, também implantaremos bicicletários próximos aos terminais de transporte público.

Tanto o projeto de construção de ciclovias quanto o projeto de implantação de bicicletários não chegaram a ser iniciados pela Prefeitura de Anápolis nesses últimos três anos.

✅ PROMESSA CUMPRIDA:

Oferecer manutenção constante para o tráfego da zona rural, garantindo segurança, facilidade, agilidade e economia para o escoamento da produção rural.

Segundo a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos, cerca de 500 quilômetros de estradas vicinais (aquelas que fazem a ligação entre dois lugares, localidades ou povoações próximas) estão em contínua manutenção.

Os trabalhos são feitos em sistema de rodízio e a Administração Municipal ressaltou que hoje todas as estradas vicinais em Anápolis estão georreferenciadas.

Estradas vicinais são georreferenciadas. (Foto: Reprodução)

❌ PROMESSA NÃO CUMPRIDA:

Implantar estacionamentos regulamentados com dispositivos eletrônicos, oferecendo maior agilidade e conforto ao usuário através de monitoramento por dispositivo compacto.

Assim como a construção de ciclovias e implantação de bicicletários, o projeto de estacionamentos regulamentados não foi iniciado pela Prefeitura de Anápolis nesses últimos três anos.

✅ PROMESSA CUMPRIDA:

Implantar soluções de engenharia de tráfego e operação do trânsito, promovendo a segurança e a fluidez nos deslocamentos com implantação de semáforos para pedestres, faixas de pedestres elevadas e gradil direcionador de pedestres para salvar vidas no trânsito.

De acordo com a Companhia Municipal de Trânsito e Transportes (CMTT), essa tem sido uma das principais frentes de trabalho da autarquia, que nos últimos três anos foram fez mais de 386 mil metros quadrados de sinalização viária.

Apenas em 2019, Anápolis recebeu mais 136 mil metros quadrados de sinalização horizontal, aquela pintada na própria via. O número ultrapassa o de 2018, quando foram executados aproximadamente 100.000 m².

A CMTT também pontou que mais de 236 lombadas físicas/redutores de velocidade e mais de 87 faixas de pedestres elevadas (lombofaixa) já foram construídos.

Destacou ainda que sinalização horizontal e vertical das avenidas Brasil Norte/Sul passou por ampla reformulação com o objetivo de garantir maior agilidade ao transporte de massa na cidade.

Esses dois sistemas, conforme o órgão, compõe um projeto macro de mobilidade urbana — que mudou a concepção paisagística de Anápolis e promete mudanças no trânsito.

Conforme a CMTT, o Plano de Mobilidade já foi licitado e o processo de licitação para o sistema de fiscalização eletrônica está em andamento com ampliação em 40% do número dos equipamentos.

(Foto: Reprodução)

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade