PublicidadePublicidade

Homem que matou cachorrinho em Anápolis é servidor da área de segurança pública e liberação dele revolta ONG’s

Uma delas promete contratar advogado para entrar no caso e garantir punição ao atirador flagrado por câmeras de segurança

Da Redação Da Redação -

O triste caso da morte do cachorro “Gerente”, que teve a história contada com exclusividade pelo Portal 6 na tarde do último domingo (27), ganhou novos capítulos nesta terça-feira (29).

Isso porque, após a divulgação e circulação de imagens que mostravam o responsável pelo disparo fatal contra o animal, ele foi identificado e se procurou a Polícia Civil (PC) para prestar depoimento.

Contudo, o desfecho não foi o esperado pelas ONG’s que se dedicam ao cuidado animal, especialmente a “Patas Solidárias”, diretamente envolvida com o cão, cujos voluntários, inclusive, adotaram e batizaram o “Gerente”.

PublicidadePublicidade

“Não vamos nos calar!”

Em conversa com a reportagem do Portal 6, a vice-presidente da Patas Solidárias, Adua Gisele, contou como foi a tentativa dela de acompanhar e tentar acesso ao processo.

“Fomos muito mal atendidas” e “não nos deixaram ter acesso ao processo”, destacou.

Segundo a representante da ONG, a escrivã responsável pelo atendimento teria informado – após bastante discussão – que o responsável pelo episódio é um servidor da área da segurança pública.

O fato fez com que a discussão em volta do caso ganhasse ainda mais combustível, com diversas teorias e acusações sendo formadas, por causa da liberação do suspeito.

Por isso, a Patas Solidárias deve contratar um advogado para entrar no caso e pediu “que a justiça seja feita”, em meio a afirmação “não vamos nos calar!”.

Desfecho legal

Em entrevista ao Mais Goiás, o delegado responsável pelo caso, Carlos Antônio Silveira, informou que o homem foi liberado porque a situação não configura flagrante.

O suspeito se justificou dizendo que agiu daquela forma em defesa própria, já que o animal continuou avançando mesmo após gritos de alerta. A cena foi registrada e pode ser vista no vídeo a seguir:

Revolta na internet

Fazendo uso da hashtag “#justicapelocachorrinhogerente”, os internautas torcem para que o atirador sofra algum tipo de punição.

Na maioria dos comentários, está o argumento de que seria possível afastar o animal sem atirar nele.

Outros interpretaram a linguagem corporal do cachorrinho para garantir que ele não oferecia perigo e, houve ainda, quem questionou o por que do homem estar andando pelas ruas armado.

Fato esse que também está sendo analisado na sequência das investigações, segundo o delegado Carlos Antônio.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade