PublicidadePublicidade

Essa foi a primeira coisa que jovem mantido em cárcere privado disse à PM

Folhapress Folhapress -
PublicidadePublicidade

A Polícia Militar resgatou um jovem de 23 anos que vivia trancado dentro de um quarto sem iluminação, ventilação, com ração humana, fezes, larvas e baratas na casa do pai e da madrasta no Jardim São Pedro (zona leste), no começo da tarde deste domingo (28).

O rapaz foi levado para o Hospital Municipal Professor Dr. Waldomiro de Paula, em Itaquera (zona leste). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o rapaz está bem e seu estado de saúde é estável. Entretanto, não há previsão de alta médica. Ainda segundo a pasta, o serviço de assistência social foi acionado para acompanhar o caso.

De acordo com a Polícia Militar, a denúncia de maus tratos chegou via Copom, canal oficial de ocorrências da PM. Ao chegar ao local, a PM fez um chamado no portão, porém ninguém atendeu. Segundo policiais militares que atenderam a ocorrência, o vizinho da casa ao lado recebeu a equipe e confirmou que naquela casa teria um rapaz com as características informadas na denúncia e que ele sofria de problemas mentais.

PublicidadePublicidade

Pelo muro do vizinho, a PM conseguiu contato com a madrasta do jovem. Ao ser questionada sobre o cárcere do rapaz, a mulher, segundo os policiais, se mostrou nervosa. Ela confirmou que tinha um enteado e disse que ele estava em casa.

Quando a PM pediu para conversar com o rapaz, a mulher correu e se trancou dentro da residência. Nesse momento, os policiais pularam o muro e foram até a porta para que ela abrisse. Segundo relatos dos agentes, foi ouvido um barulho de corrente. Em seguida, ela abriu a porta para a entrada dos PMs.

De acordo com a soldado Caroline Twardoski Lira, que atendeu a ocorrência junto com o cabo Ronaldo Barbosa, assim que abriram porta do quarto, o jovem foi encontrado deitado na cama em um colchão sujo, debilitado e com aparência de maus tratos. Ainda segundo a policial, o cômodo era totalmente insalubre, sem ventilação e iluminação.

Além disso, havia ração humana jogada pelo chão, com baratas e larvas ao lado de uma bacia com urina e uma garrafa pet de água vazia.

“Quando abrimos a porta, que estava com a corrente e cadeado, porém destrancados, a primeira coisa que ele disse foi ‘me dê um copo de água, por favor'”, relatou a soldado Caroline.

Ainda segundo relato da policial militar, o jovem saiu do quarto correndo para pegar algo para comer na cozinha. “Ele ia pegar um pacote de bolacha, mas ficou com medo da madrasta brigar. Dissemos a ele que poderia comer”, contou a soldado.

De acordo com a policial, o jovem disse ainda que já apanhava com pedaço de ferro.

Em um vídeo gravado pela própria PM, a madrasta diz que a corrente era usada porque o jovem havia quebrado três portas. Sobre a ração humana, a mulher alegou ser salgadinho. Já sobre a urina, ela confirmou que ele usava a bacia para necessidades fisiológicas.

Ainda não se sabe por quanto tempo o jovem permaneceu em cárcere privado. A Polícia Militar prestou os primeiros atendimentos ao rapaz e deu voz de prisão em flagrante à madrasta. Já o pai, que estava trabalhando, foi preso assim que compareceu ao 63º DP (Vila Jacuí). Ambos responderão por cárcere privado e maus-tratos.

A defesa do casal não foi localizada pela reportagem até a publicação desta reportagem.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade