PublicidadePublicidade

Foi assim o primeiro dia de validade do decreto estadual em Anápolis

Denilson Boaventura Denilson Boaventura -
PublicidadePublicidade

O primeiro dia da nova fase da quarentena em Anápolis, nesta quarta-feira (17), ainda pegou muita gente de surpresa.

Houve muitos comerciantes que abriram as portas pela manhã, pois acreditavam que o decreto estadual só começava a valer no final da tarde.

O motivo? Uma informação que circulou nas redes sociais de que o horário era este pois a cidade tinha 24h para se adequar.

PublicidadePublicidade

Mas não foi esse ruído de comunicação que marcou o primeiro dia. Clientes que precisaram ir ao supermercado deram de cara com algumas gôndolas de produtos lacradas.

É que ao contrário da regras da matriz de risco de risco da Prefeitura, antes em vigor, itens não essenciais são proibidos de permanecerem expostos à venda no decreto estadual.

Um outro fator notado pelas autoridades sanitárias foi a baixa circulação no transporte coletivo nesse primeiro dia.

Menos de 20 mil pessoas andaram de ônibus e circularam no Terminal Urbano nesse primeiro dia. A Urban não pode diminuir as linhas e deve promover a sanitização dos veículos.

A força-tarefa que fiscaliza o cumprimento não teve grandes ocorrências. Prevaleceu o esforço de orientar os estabelecimentos e a população em seguir as normas.

O decreto estadual é de revezamento 14×14. Nesta primeira fase, o comércio e os serviços não essenciais devem suspender as atividades para evitar a circulação do novo coronavírus e evitar colapso no sistema de saúde.

Depois deste período, voltam a ter autorização para retomar as atividades. Todos os municípios goianos devem seguir pois o descumprimento acarreta em implicações com o Ministério Público e o Poder Judiciário.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade