PublicidadePublicidade

Conheça os sintomas da variante Delta e entenda porque ela é tão perigosa

Aqueles que eram muito relatados na linhagem original do coronavírus são menos comuns nessa cepa, o que tem preocupado especialistas

Da Redação Da Redação -
Cepa tem sintomas semelhantes aos da gripe e do resfriado. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Identificada pela primeira vez na Índia, a variante Delta do novo coronavírus já se espalhou para vários países e causa sintomas específicos, um pouco diferentes dos causados pela cepa original.

Febre, tosse contínua e perda de olfato e paladar eram os sinais mais comuns da Covid-19, porém a nova linhagem do vírus tem manifestado mais dores de cabeça, garganta, coriza e febre.

São, conforme especialistas, sintomas de um resfriado leve. E é isso que faz a variante Delta ser tão perigosa porque as pessoas, se infectadas, podem não dar a devida importância e continuar circulando normalmente.

PublicidadePublicidade

Tim Spector, professor que dirige um projeto de vigilância do coronavírus para o aplicativo Zoe Covid Symptom, faz um alerta.

“As pessoas podem pensar que acabaram de pegar algum tipo de resfriado sazonal e ainda irem a festas. Elas podem espalhar o vírus para outras seis pessoas. Achamos que isso está alimentando grande parte do problema”.

Além de provocar sintomas um pouco diferentes, também há indícios de que a cepa seja muito mais transmissível do que qualquer linhagem do coronavírus.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, já foram identificados casos no Maranhão, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, São Paulo e Goiás.

Estudo da revista Nature mostrou que as células do sistema imunológico que tiveram maior eficácia contra a variante Delta são as das pessoas que tomaram duas doses das vacinas Pfizer e AstraZeneca.

A pesquisa, publicada na última quinta-feira (08), destacou que, quando completa a imunização, a neutralização da cepa esteve na taxa de 95%. A vacina da Janssen, de dose única, também mostrou eficácia contra a variante.

Com relação à Coronavac, as porcentagens ainda são incertas porque a Sinovac, empresa que criou o imunizante, não publicou o resultado dos estudos contra a variante Delta.

Em entrevista ao Jornal Opção, o médico infectologista Marcelo Daher, que atua em Anápolis, destacou que acredita na proteção do imunizante contra a cepa.

O profissional lembrou a vacina utiliza uma tecnologia tradicional e semelhante à da vacina indiana Covaxin que já teve estudos publicados mostrando a eficácia para a variante Delta.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade