PublicidadePublicidade

Primeiro possível caso de variante Delta em Anápolis ainda é uma incógnita

Estado, porém, já registrou a primeira morte e novas confirmações de pacientes contaminados pela cepa

Rafaella Soares Rafaella Soares -
(Foto: Divulgação / Peter Ilicciev)

A moradora de Anápolis monitorada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) de Goiás, suspeita de ter sido contaminada com a variante Delta do novo coronavírus, ainda aguarda o resultado do sequenciamento genético.

Inicialmente, a expectativa era que o laudo do exame fosse disponibilizado entre 07 e 15 dias. No entanto, a pasta informou ao Portal 6 nesta quinta-feira (12), 16 dias depois da divulgação do caso, que a Delta ainda não foi nem descartada nem confirmada na paciente.

A reportagem então entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), que explicou que a epidemiologia da cidade procurou o Lacen Goiás, na quarta (11), e foi informada que a genotipagem (que detecta a cepa) ainda não havia sido feita.

Como a mulher testou positivo para a Covid-19 antes de levantar suspeitas de uma possível contaminação pela variante, o período de isolamento de 14 dias já foi encerrado.

Ela precisou ficar em quarentena junto com o marido porque teve contato com pessoas que testaram positivo no Distrito Federal, que vive um surto da Delta.

Morte e novos casos

Em nota divulgada nas mídias sociais, na quarta-feira (11), a SES anunciou a primeira morte em decorrência da variante Delta no estado. A vítima é um idoso de 67 anos que estava internado em Aparecida de Goiânia.

Ao todo, Goiás já confirmou dez casos da cepa, sendo 04 de Goiânia, 01 de Santo Antônio do Descoberto, 02 em São João D’Aliança e 03 em Aparecida (incluindo o óbito).

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade