Brasil vence a Colômbia e garante vaga na Copa do Mundo do Qatar

Gol da vitória veio dos pés de Lucas Paquetá

Folhapress -
(Foto: Reprodução/Twitter Conmebol)

Alex Sabino, de SP – A campanha quase impecável do Brasil nas Eliminatórias foi coroada com a vaga para a Copa do Mundo. Com seis partidas ainda para jogar, a seleção brasileira está classificada para o torneio no Qatar, em 2022.

Um gol de Lucas Paquetá, aos 26 minutos do 2º tempo, foi o suficiente para a equipe de Tite derrotar a Colômbia por 1 a 0, nesta quinta-feira (11), na Neo Química Arena, em São Paulo. O resultado garantiu o Brasil com o primeiro país sul-americano qualificado para o Mundial.

Com 34 pontos, a equipe de Tite pode até ser alcançada por Chile, Uruguai e Colômbia, que ocupam entre o 4º e 6º lugar na tabela. Todos têm 16 pontos. Mas mesmo que isso aconteça, a seleção tem 11 vitórias, o primeiro critério de desempate. Nisso, não pode ser alcançada.

PublicidadePublicidade

Classificam-se os quatro primeiros. O quinto disputa repescagem contra rival de continente ainda a ser determinado.

O Brasil está invicto nas Eliminatórias e só não tem 100% de aproveitamento porque empatou em 0 a 0 com a mesma Colômbia, em Barranquilla. À exceção desta igualdade, ganhou os 11 outros jogos que disputou. É a melhor campanha na América do Sul desde que a Conmebol adotou o sistema atual, em que todas as dez seleções se enfrentam em partidas de ida e volta.

A fórmula foi usada a partir das Eliminatórias para a Copa de 1998, na França.

Tite também ampliou sua invencibilidade no classificatório sul-americano. Agora são 24 jogos sem perder no torneio: 12 da atual competição e 12 da disputa para a vaga na Rússia, em 2018. No total, o treinador tem 50 vitórias, 12 empates e 5 derrotas no comando da seleção.

A preocupação do técnico passa a ser, a partir de agora, a Copa do Mundo. Ele mesmo confirmou que nas seis rodadas finais, com a vaga já garantida, poderá experimentar. Novos jogadores devem receber chance. Ele também deve manejar melhor as demandas dos clubes brasileiros, sempre descontentes quando seus atletas são convocados.

Tite planeja também viajar ao Qatar no próximo mês para assistir jogos da Copa Árabe, torneio que servirá como teste para o Mundial. Também vai conhecer estádios a serem utilizados na competição.

Pelo menos nesta quinta-feira, o jogo na Neo Química Arena aconteceu. Na última vez em que uma partida da seleção foi marcada para o estádio, em 5 de setembro, agentes da Anvisa entraram em campo depois de seis minutos e interromperam o confronto. Quatro jogadores da Argentina (Emiliano Martínez, Emiliano Buendía, Cristian Romero e Giovani Lo Celso) não cumpriram a quarentena obrigatória e não poderiam atuar, segundo a agência sanitária.

O primeiro tempo do Brasil foi lento como a entrada do público na arena em Itaquera. Até cerca dos 30 minutos do primeiro tempo, novos torcedores, atrasados pelo trânsito, ocupavam cadeiras no estádio, as filas para apresentar comprovante de vacinação contra a Covid-19 e também para mostrar o ingresso.

No total, 22.080 pessoas estiveram presentes, um público baixo. A capacidade da arena é de 49 mil.

Com uma linha de marcação de cinco jogadores, a Colômbia conseguiu bloquear as jogadas brasileiras durante boa parte da etapa inicial. Para tentar furar essa marcação, Tite mandou Raphinha e Gabriel Jesus atuarem bem abertos pelas pontas.

Mas faltava acelerar o toque de bola. Quando isso aconteceu, a seleção entrou na área do adversário, que começou a apostar no jogo mais truculento. Neymar reclamou ter recebido uma cotovelada de Cuadrado. O árbitro chileno Roberto Tobar não viu dessa forma e o VAR confirmou a decisão.

Para ser mais incisivo pelas laterais, Tite mudou o esquema. Ele colocou Vinicius Júnior em campo, no lugar de Fred. O volante já havia recebido cartão amarelo. Pouco depois, entrou Antony, outro nome capaz de lances incisivos pelas pontas.

E se o time precisava acelerar o passe, o gol saiu em um lance de pura categoria entre Marquinhos, Neymar e Lucas Paquetá. O primeiro recuperou a bola a matando no peito, o camisa 10 deu passe de primeira para o meia-atacante finalizar e mandar o Brasil, mais uma vez e como sempre, para a Copa do Mundo. E com direito a invasão de campo de torcedores para comemorar.

Estádio: Neo Química Arena, em São Paulo (SP)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann e Claudio Rios (ambos do Chile)
VAR: German Delfino (Argentina)
Cartões amarelos: Neymar, Casemiro, Vinicius Júnior (Brasil), Johan Mojica, Wilmar Barrios, Cuadrado (Colômbia)
Público e renda: 22.080 presentes/R$ 7.111.200,00
GOL: Lucas Paquetá, aos 26/2ºT (1-0)

BRASIL
Alisson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro e Fred (Vini Jr, no intervalo); Raphinha (Antony, aos 18/2ºT), Gabriel Jesus (Matheus Cunha, aos 18/2ºT), Neymar e Lucas Paquetá (Fabinho, aos 40/2ºT). T.: Tite.

COLÔMBIA
Ospina; Daniel Muñoz (James Rodríguez, aos 32/2ºT), Sánchez, Tesillo e Johan Mojica (Cuéllar, aos 9/2ºT); Wilmar Barrios (Muriel, aos 32/2ºT), Lerma e Yairo Moreno; Cuadrado, Luis Diaz (Roger Martínez, aos 21/2ºT) e Zapata (Borja, aos 21/2ºT). T.: Reinaldo Rueda.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.