Adolescente que teve corpo queimado em escola de Anápolis está em estado grave e respirando com ajuda de aparelhos

Secretaria de Educação divulgou nota para comentar o caso e declarar apoio à família

Rafaella Soares -
Aluna ficou ferida após explosão em escola. (Foto: Reprodução / TV Anhanguera)

Está em estado grave e respirando com ajuda de aparelhos a adolescente Annelise Lopes Andrade, de 16 anos, que ficou ferida em uma explosão no Colégio Estadual Professor Heli Alves Ferreira, no bairro Jundiaí, região Central de Anápolis, nesta terça-feira (30).

A informação foi confirmada ao Portal 6 pelo Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (HUGOL), unidade para onde ela precisou ser levada no helicóptero do Corpo de Bombeiros.

A garota sofreu queimaduras em cerca de 70% do corpo depois que foi até uma sala do colégio para realizar um experimento de química e física, que não teria dado certo.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação de Goiás (Seduc) afirmou já ter sido informada sobre o ocorrido e que a própria equipe gestora da unidade escolar acionou o protocolo de segurança de saúde, chamando os bombeiros e prestando atendimento aos envolvidos.

A pasta declarou ainda que dá total apoio aos familiares, que “uma equipe multidisciplinar acompanha situação” e que “toma todas as providências para investigar o fato”.

Veja na íntegra a nota da Seduc

A respeito da solicitação deste veículo de comunicação, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc/Goiás) responde o que se segue:

– A Seduc foi informada, na manhã desta terça-feira (30/11), sobre o ocorrido no Colégio Estadual Professor Heli Alves Ferreira, no município de Anápolis. A equipe gestora acionou o protocolo de segurança e saúde, contatando o Corpo de Bombeiros e com prestação de atendimento aos adolescentes envolvidos.

– Segundo relato, os estudantes realizavam uma experiência quando o fato aconteceu. Com o acidente, ocorreram queimaduras e uma das adolescentes precisou ser encaminhada ao hospital. O atendimento foi feito no Hospital de Urgência de Anápolis e, posteriormente, foi feita a transferência para o Hugol, em Goiânia.

– A Secretaria de Estado da Educação dá total apoio aos familiares e uma equipe multidisciplinar acompanha a situação. A Coordenação Regional de Educação de Anápolis, a qual a escola é jurisdicionada, verifica os detalhes dentro da escola, com suporte aos demais adolescentes. A Seduc toma todas as providências para investigar o fato.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.