Polícia Civil diz o que causou explosão em panificadora após jovem morrer com 70% do corpo queimado

Funcionário do estabelecimento ficou por quase um mês internado, mas não resistiu

Karina Ribeiro -
Imagem da panificadora no dia do acidente (Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros)

Um pequeno incidente anterior, ocorrido com um incêndio em uma fritadeira elétrica, foi  responsável por danificar a tubulação de gás de uma panificadora de Aparecida de Goiânia, culminando na explosão que matou, depois de quase um mês de internação, o funcionário do estabelecimento comercial, Wesley Ribeiro, de 22 anos.

Com essas apurações, o caso, que ocorreu no dia 02 de novembro, foi encerrado.

Segundo a Polícia Técnico-Científica, esse pequeno incêndio danificou o sistema de tubulação de gás – que estava em conformidade com todas as normas vigentes, com prazo de validade até 2023.

Portanto, com essa avaria, ao ligar o interruptor de energia, acabou acionando uma faísca que, em contato com o gás concentrado, provocou uma explosão de grandes proporções.

Wesley teve 70% do corpo queimado e ficou quase um mês hospitalizado – falecendo no último dia 29.

Em meio às investigações, a Polícia Civil (PC) também procurou esclarecer se o rapaz tinha inimigos e a possibilidade do crime ser doloso, que foi descartado.

Desta de todos os elementos a PC esclareceu as circunstâncias afetas à explosão e remeteu o inquérito policial para o Poder Judiciário.

 

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.