Alfabetizado aos 23 anos, ex-gari vence dificuldades e se torna delegado em Goiás

Após vida difícil trabalhando no campo desde criança, Jiovane Freitas viu a vida mudar assim que conseguiu se dedicar aos estudos

Augusto Araújo -
Delegado Jiovani Freitas, titular da Polícia Civil de Campos Belos, em Goiás. (Foto: Reprodução).

A história de superação de Jiovane Policena de Freitas, mais novo delegado de Polícia Civil de Campos Belos, no Nordeste de Goiás, é inspiradora.

Isso porque ele teve uma vida dura até chegar ao cargo. Nascido em uma fazenda na zona rural de Pirenópolis, aos três anos de idade ele se mudou com a família para Redenção (PA).

Desde criança, Jiovane trabalhou no campo para ajudar os pais e os irmãos a colocarem comida na mesa. Ainda com 17 anos, ele passou a ocupar o cargo de gari no município paraense.

“Isso ocupava todo o meu tempo e disposição. Faltavam recursos às vezes e não tínhamos o que comer em casa. Mas vivíamos acobertados pela boa estrutura familiar”, relembrou o delegado.

Desse modo, Jiovane ficou até os 23 anos praticamente analfabeto. Foi quando ele decidiu começar os estudos de forma independente, em sua própria casa, durante o pouco tempo de descanso que tinha.

“Fiz a prova de supletivo do MEC; fui aprovado e recebi meu diploma do ensino fundamental. Continuei os estudos em casa e também fui aprovado para o ensino médio”, disse ao portal Debate Carajás.

Na sequência Jiovani foi aprovado no vestibular da Universidade Federal de Tocantins (UFT), para o curso de engenharia de alimentos, mas teve que desistir do curso, que exigia presença integral e ele ainda precisava trabalhar pra se sustentar.

Contudo, ele não desistiu e foi aprovado novamente na UFT, dessa vez para o curso de Direito. Cerca de três meses após o início do curso, ele passou em um concurso de nível médio, o que acabou lhe dando um respiro financeiro.

“Quase me acomodei com a situação de estabilidade, mas logo retomei meus objetivos e continuei a estudar”, explicou.

Ao longo de quase dez anos, Jiovane Freitas continuou trabalhando e estudando com o objetivo de tornar-se delegado de polícia. Foi então que, em 2018, ele foi aprovado e começou a atuar em 2021.

Ele destacou o apoio familiar que recebeu desde sempre como o principal incentivo para se desenvolver na área. “Foi indispensável para o meu crescimento”, pontuou.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade