Austrália reabre para turistas pela 1ª vez desde o início da pandemia

"A espera acabou", disse o primeiro-ministro Scott Morrison

Folhapress -
6 dicas para comprar passagem aérea barata que todo mundo que viaja precisa conhecer
Movimento no terminal 3 do aeroporto internacional de Guarulhos. (Foto: Eduardo Anizelli/ Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Apelidada de “fortaleza” por ter imposto uma das restrições de viagens mais rígidas do mundo na pandemia, a Austrália reabrirá suas fronteiras internacionais para turistas vacinados nesta segunda-feira (21).

“A espera acabou”, disse o primeiro-ministro Scott Morrison em entrevista coletiva neste domingo (20). “Arrumem suas malas”, lançou ele para potenciais visitantes, acrescentando: “Não se esqueçam de trazer dinheiro, porque vocês encontrarão muitos lugares para gastá-lo”.

O país fechou suas fronteiras para quase todos, exceto seus cidadãos e estrangeiros residentes, desde março de 2020, na tentativa de impedir o aumento do número de infecções por Covid-19.

A proibição de viajar também afetou os seus cidadãos, que só podiam viajar para o exterior com uma justificativa.
O primeiro voo para o aeroporto de Sydney chegará de Los Angeles na segunda-feira às 06h (horário local, 16h de domingo no horário de Brasília), seguido por outros vindos de Tóquio, Vancouver e Singapura.

Espera-se que 56 voos internacionais cheguem ao país nas 24 horas pós-reabertura, volume bem abaixo dos níveis pré-pandemia, embora Morrison tenha dito que “não tem dúvidas” de que esse número aumentará em breve.

A abertura da Austrália aos turistas é o exemplo mais claro até agora da mudança do governo de uma abordagem estrita de “Covid zero” para a convivência com o vírus e a minimização dos casos graves e mortes com a vacina.

A maioria das 2,7 milhões de infecções por coronavírus do país ocorreu desde que a variante ômicron surgiu, no final de novembro. Mas como a Austrália tem uma das taxas de vacinação mais altas do mundo -mais de 94% das pessoas com 16 anos ou mais recebem duas doses-, houve pouco menos de 5.000 mortes, uma fração das taxas observadas em vários outros países desenvolvidos.

No domingo, o país registrou mais de 16.600 casos e pelo menos 33 mortes.

De acordo com a Câmara Australiana de Comércio e Indústria, cada mês dessas restrições custou às empresas cerca de 3,6 bilhões de dólares australianos (R$ 9,5 bilhões), com o turismo particularmente atingido.

O governo espera impulsionar um setor que vivia um crescimento pré-pandemia -o produto interno bruto do turismo real cresceu 3,4% em 2018-2019, em comparação com o crescimento geral do PIB de 1,9%.

A Austrália vem reabrindo gradualmente desde novembro, primeiro tendo permitido que os australianos entrassem e saíssem e depois admitindo estudantes internacionais e alguns trabalhadores. A partir de segunda-feira, os viajantes a lazer e mais viajantes a negócios podem entrar.

Turistas totalmente vacinados não precisarão ficar em quarentena, mas aqueles que não tomaram a dose dupla terão que conseguir uma autorização de viagem para entrar no país e estarão sujeitos a requisitos de isolamento estaduais e territoriais.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.