Estudante que teve o corpo queimado deixa hospital e é recebida com festa em Anápolis

Internada por quase 50 dias, ela teve sucesso nas últimas cirurgias e já está conseguindo se movimentar bastante

Augusto Sobrinho -
Jovem se queimou no dia 30 de novembro do ano passado enquanto gravava um experimento chamado “fogo invisível”. (Foto: Arquivo Pessoal)

A família da estudante Annelise Lopes Andrade, de 16 anos, que sofreu queimaduras em 60% do corpo durante experimento em uma escola de Anápolis, comemoraram a alta hospitalar obtida na terça-feira (12).

“A Anne recebeu alta e, graças a Deus, está bem. Nas últimas cirurgias que ela fez ocorreram tudo bem, ela está bem cicatrizada e os restos das feridas que colocaram placas estão funcionando tranquilo”, comemora Diolange Lopes, mãe da estudante.

A jovem se queimou no dia 30 de novembro do ano passado enquanto gravava um experimento chamado “fogo invisível”.

Annelise ficou internada no Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia, entre os dias 30 de novembro e 03 de fevereiro e do dia 23 do mesmo mês até esta terça-feira (12).

“Agora, ela já está conseguindo andar e já se movimenta bastante. Ela ainda vai tomar anticoagulante por quatro meses, fazer os tratamentos psiquiátricos e psicológicos e continuar as fisioterapias aqui em Anápolis”, explica Diolange.

A mãe aponta que a jovem já melhorou “90%” do que estava no ano passado e que ela tem evoluído bastante, principalmente, devido a pele já estar bem cicatrizada das queimaduras.

Por fim, Diolange afirma que teve um dia corrido preparando a casa para receber a filha de volta. A estudante ainda fará retornos semanais ao hospital para os médicos avaliarem a cicatrização.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade