Campanha mobiliza todo o Brasil para ajudar mãe que vive com filho encarcerado em Anápolis

João Paulo foi diagnosticado com esquizofrenia e tratamentos já não dão mais resultados

Lucas Tavares -
Sandra Martins da Silva, mãe de João Paulo. (Foto: Portal 6)

Já conhecidos entre os moradores de Anápolis, Sandra Martins da Silva, de 50 anos, e o filho dela, João Paulo, de 24 anos, ganharam destaque nacional nas últimas horas após a criação de uma campanha que está emocionando milhares de pessoas.

Diagnosticado com esquizofrenia, o comportamento do jovem impressionava a mãe e pessoas próximas desde que ele era pequeno. Aos 15 anos, após diversos episódios que colocavam em risco a vida dele, a mãe precisou montar um quarto, como uma espécie de cela, para mantê-lo trancado e seguro em casa.

Agora, através do site Razões Para Acreditar, a família busca alcançar uma quantia de R$ 120 mil para realizar melhorias no imóvel, principalmente no quarto de João, e até auxiliar nos tratamentos, uma vez que os atuais já não estão mais dando resultados.

Em 2020, o Portal 6 produziu um material especial contando a trajetória sofrida de Sandra e do filho. Agora, dois anos depois, eles precisam do apoio para ter mais qualidade de vida.

Antes de tomar a decisão de trancar o filho em uma cela, a mulher passou por diversos apuros. Em uma ocasião, por exemplo, João moeu cacos de vidros e colocou no arroz. Quando foram se alimentar, toda a família ficou com sangramentos.

“Levei ele no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), disse que não tinha mais como ficar em casa com ele, se não todo mundo ia morrer”, contou a mãe ao Portal 6.

Outro momento decisivo foi quando Sandra teve de ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) depois do filho, inocentemente, despejar duas caixas de remédio em uma garrafa de café.

Em momentos mais críticos, ela chegou a ser agredida e teve de amarrá-lo para que não se machucasse também.

“Até os 15 anos a gente não prendia, mas tinha que ficar o dia todo atrás, porque se machucava. Um dia ele chegou com giletes, caixas de fósforo e álcool. Disse chorando que era para morrer porque estava doente”, contou.

Atualmente, eles vivem em uma casa no Residencial Copacabana e sobrevivem principalmente com auxílios e doações.

Na residência, o quarto do jovem possui uma estrutura precária. Sem banheiro, ele acaba fazendo as necessidades fisiológicas no chão e, por não ter piso, a limpeza fica a desejar.

Esse é inclusive um dos principais objetivos da ação solidária, finalizar a construção do cômodo e dar mais conforto para ele.

Além de João Paulo, Sandra teve mais sete filhos, sendo que três ela precisou entregar para a adoção.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.