Goiana que caiu em golpe para adotar criança ucraniana chegou a montar quarto, revela delegado

Vítima teria caído na conversa de idoso e só procurou a polícia depois que ele parou de responder mensagens. Prejuízo foi de 2 mil euros

Emilly Viana -
Homem dizia que estava cobrindo a guerra na Ucrânia de uma cidade da Polônia. (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Uma mulher goiana foi vítima de um golpe de falsa adoção e chegou a vender objetos de valor para montar o quarto da criança, que seria órfã da guerra na Ucrânia. Um idoso de 64 anos é apontado como autor do crime.

Segundo a Polícia Civil, Auly Rosa de Paula cobrou € 2 mil euros, cerca de R$ 10 mil na cotação atual, para intermediar o processo e usou fotos de bebês da internet para enganar a denunciante.

Ao Portal 6, o delegado Paulo Ludovico, responsável pelo caso, explica que a mulher demorou para desconfiar que tinha caído em um golpe. “Ela acreditou em toda a história, foi atrás dos documentos pedidos e montou um quarto para a criança, vendendo objetos de valor”, descreve o delegado.

O suspeito, de acordo com as investigações, agia sozinho.

“Primeiro ele se identificou como uma pessoa influente e, como a vítima trabalhava com ONGs em Goiás, eles começaram a ter um relacionamento amistoso. Quando soube que ela gostaria de ter um segundo filho, disse que estaria a caminho de uma cidade polonesa com equipe de emissora internacionalmente conhecida para cobrir a guerra e iniciou a conversa sobre adoção”, narra.

Os repórteres e um advogado, dizia o idoso, facilitariam a adoção. Só após a transferência do dinheiro, a mulher percebeu ter caído em um golpe.

“Inicialmente foi estabelecido o preço de cinco mil euros, mas acabou abaixando para dois mil. Foi só receber o valor que as mensagens pararam e houve o sumiço, foi quando nós fomos procurados para realizar a denúncia”, expõe.

O delegado conta que, depois do ocorrido, a denunciante ainda recebeu mensagens de uma outra pessoa, que a polícia acredita ser o mesmo homem.

“Ele informou que o contato tinha cessado porque um uma equipe de soldados russos teria apreendido o material da equipe que cobria a guerra, mas que posteriormente eles voltariam a se falar”, afirma.

Com a investigação, os policiais descobriram que as mensagens eram enviadas de uma praia em Belém (PA). O golpista foi localizado no município paraense e preso na última quarta-feira (15).

Se a condenação por estelionato se concretizar, a pena pode chegar a 05 anos de prisão. De acordo com o delegado, o homem já tem 20 passagens pela polícia por crimes como homicídio, roubo e ameaça.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.