Homem que matou ex-sogro em farmácia é denunciado por homicídio duplamente qualificado

MP também pediu conversão da prisão temporária em preventiva

Aglys Nadielle -
Felipe Gabriel Jardim foi denunciado. (Foto: Reprodução/Redes sociais)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou nesta terça-feira (26) o servidor municipal Felipe Gabriel Jardim Gonçalves, que matou o ex-sogro, João do Rosário Leão, no último dia 27 de junho, em Goiânia.

O promotor de Justiça José Carlos Nery Júnior, titular da 67ª Promotoria de Justiça da capital, é quem assina a denúncia. O homem é acusado de homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima) e também por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.

Felipe matou o pai da namorada, com quem se relacionava há pouco mais de um ano, utilizando uma arma de fogo. O promotor requereu que a prisão temporária seja convertida em preventiva.

Ele ressalta que esta medida é necessária e adequada para resguardar a ordem pública, a conveniência da instrução criminal e a aplicação da lei penal.

Relembre o crime

O homem já apresentava um comportamento agressivo durante o relacionamento e depois de uma briga que aconteceu no dia 25 de junho, o sogro tentou intervir, quando foi ameaçado com a arma de fogo.

Na manhã de 27 de junho, João do Rosário foi até o 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia e fez um Registro de Atendimento Integrado (RAI), relatando o que havia acontecido.

No mesmo dia, Felipe foi informado por um amigo da Polícia Militar sobre a acusação feita contra ele. Conhecedor da rotina da vítima, ele foi até a farmácia, localizada na Avenida T-4, onde sabia que João do Rosário estaria, entrou rapidamente, deparou-se com ele e efetuou vários disparos de arma de fogo, que levou o homem a óbito.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade