Falta de proatividade e aumento da crise na saúde em Anápolis levam insatisfeitos a prepararem dossiê contra Elinner Rosa

Ex-vereadora está há menos de dois meses no comando da Semusa e as discórdias e resistências internas parecem ter chegado ao limite

Pedro Hara Pedro Hara -
Elinner Rosa, ex-vereadora e atual secretária de Saúde. (Foto: Arquivo/Portal 6)

Está pesadíssima a energia dentro da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) de Anápolis. Muito por conta de um dossiê que estaria sendo confeccionado contra a atual titular da pasta, a ex-vereadora Elinner Rosa, que está na função há pouquíssimo tempo.

O documento, conforme confidenciado à Rápidas do Portal 6 por fontes internas envolvidas, seria sobre empresas ligadas à própria Elinner e ao pai dela, vereador Eli Rosa (PSC). O teor do material tem, como sustentam eles, poder suficiente para trazer constrangimentos e muita dor de cabeça aos dois.

A tentativa de fritar Elinner estaria ocorrendo devido a enfrentamentos que ela vem tendo com auxiliares que já estavam em seus postos quando ela se tornou secretária.

Dois deles já foram removidos pela ex-vereadora, deixando irado um ex-presidente da Câmara que o mantinha na pasta de forma estratégica.

Outro, considerado muito carregado na tinta ideológica, jamais imaginou sair de onde estava e também foi derrubado.

Porém, a servidora mais disposta a derrubar Elinner, e que sempre foi vista como a pessoa mais poderosa na Semusa após o verdadeiro secretário, estaria irada por não ter mais os mesmos acessos nem os mesmos poderes.

No prédio da Papelaria Tributária também é unanimidade que Elinner não corresponde às expectativas do prefeito Roberto Naves (PP), pois não vestiu 100% a camisa da gestão e não se move para resolver de forma efetiva o problema das bolsas de sangue para a realização de cirurgias e demais transfusões na rede.

Não custa lembrar que a secretária é ligada ao Instituto Onco-Hematológico de Anápolis (IOHA), cujo os estoques estão cheios do insumo, como mostrado recentemente em reportagem do Portal 6.

As queixas contra a filha de Eli Rosa também são enormes entre os vereadores de Anápolis, que não veem nela a mesma abertura que viam em Júlio César Spíndola, antigo titular da pasta. Acabam recorrendo ao pai para resolver demandas básicas.

Querendo a cadeira

Em contato com a Rápidas do Portal 6, o advogado Bruno Pena, que representa os interesses de Magrão da Rádio Clube (PP), de Rio Verde, reforçou que não desistiu de fazer do cliente dele o principal beneficiário de uma possível cassação do mandato de Vivian Naves.

Magrão é o primeiro suplente do PP, partido em que a primeira-dama de Anápolis se elegeu deputada estadual.

A par de todo o processo no TRE, o advogado argumentou que existem provas suficientes nos autos para a cassação da esposa de Roberto Naves e vai lutar para que o cliente dele assuma a cadeira.

Recurso

Por isso mesmo, ele pretende reverter o entendimento entre os desembargadores do TRE de que a cassação da deputada por abuso de poder político e econômico tornaria nulos os mais de 38 mil votos que ela recebeu.

O advogado argumenta que existe jurisprudência na Corte para manter os votos já dados em uma eleição, não deixando margem para uma nova retotalização dos votos.

Falando nisso

A Rápidas do Portal 6 errou quando disse que, na hipótese de uma retotalização dos votos provocadas numa possível cassação de Vivian, um dos prováveis beneficiados seriam Francisco Júnior, do MDB. Na verdade, quem ganharia a cadeira pelo partido seria Thiago Albernaz, primeiro suplente do partido.

Se ocorrer, ao menos o mandato ficaria em família, uma vez que Vivian é parente de Thiago.

Por falar em cadeiras

A Câmara Municipal de Goiânia aprovou, em primeira votação, o projeto de lei que amplia o número de 35 vereadores para 37 a partir da próxima legislatura.

Outra importante matéria aprovada foi o aumento no valor das emendas impositivas, que saltou de 1,2% para 2% em relação ao orçamento.

Operação Ciclo Fechado

Após ser alvo de operação da Polícia Federal (PF), o coach goiano Pablo Marçal usou as redes sociais para incitar os seguidores a comentar em publicações no Instagram que noticiaram a ação da PF.

Em um dos posts, ele se autodeclarou “perseguido político”. A operação investiga crimes como falsidade ideológica eleitoral, apropriação indébita e lavagem de capitais durante as eleições de 2022.

Faturando

Vereadores anapolinos que apoiaram os servidores contra o projeto de lei que aumentaria a contribuição previdenciária deles de 14% para 22% viram o número de curtidas explodirem nas redes sociais.

Em relação a outros temas, as postagens que abordaram a situação ocorrida na última sexta-feira (30), na Câmara de Anápolis, tiveram um incremento de mais de 200% no geral.

Uma das publicações do vereador Marcos Carvalho (PT), por exemplo, aumentou 413% em relação a anterior, que falava de projetos voltados à Cultura.

Nota 10

Para Robson Torres, presidente da Agência Reguladora do Município (ARM) de Anápolis.

Na última terça-feira (04), a ARM, juntamente com a Agência Goiana de Regulação (AGR), conseguiram arrancar da Saneago o compromisso de agilizar o serviço de tapa buracos nas vias e calçadas que a companhia provocou na cidade.

A medida ocorreu após reunião de Torres com Ricardo Soavinski, presidente da concessionária, na última quinta-feira (27).

Nota Zero

Para a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) de Goiânia. Ao Portal 6, a pasta não soube informar se o prazo de 31 de outubro será de fato o último para entrega das obras que estão sendo executadas na Praça Cívica.

As intervenções começaram em julho de 2021 e o período estipulado para a entrega era de apenas 75 dias. Antes do dia 31 de outubro, o término dos trabalhos estava previsto para 30 de junho.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade
PublicidadePublicidade