TJGO determina nomeação de 1,5 mil soldados aprovados em concurso há mais de uma década

Promotora responsável pelo caso apontou que houve uma condução irregular do certame

Thiago Alonso Thiago Alonso -
Policiais Militares (PM) (Foto: Divulgação)

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) determinou que mais de 1,5 mil soldados de 2ª classe e 100 cadetes fossem nomeados, 12 anos após serem aprovados em um concurso da Polícia Militar (PM).

Os candidatos tinham passado por todas as etapas do processo para ingressar na corporação, ainda em 2012, mas nunca foram convocados para assumirem os cargos.

Assim, o Ministério Público (MP) apresentou um recurso ao TJGO, que reconheceu o direito de todos os aprovados a entrar na PM.

Isso se deu por meio da promotora Miryam Belle Moraes da Silva Falcão, que enviou uma apelação ao tribunal contra uma decisão anterior, de 2013, que rejeitou o primeiro pedido da entidade.

Ela argumentou que os candidatos aprovados no concurso de 2012 foram ignorados sem justificativa e deveriam ser nomeados para as vagas disponíveis.

A ação também aponta que havia uma necessidade clara e urgente de mais militares na corporação. Isso foi evidenciado pela abertura de mais processos seletivos em 2022.

Com a decisão, o  concurso de 2012 voltou a correr na data de 08 de fevereiro de 2023, “não havendo que se falar, pois, em término do prazo para convocação dos candidatos”.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade
PublicidadePublicidade