Portal 6

UEG já é a segunda maior instituição a oferecer mestrado e doutorado em Goiás

(Foto: Reprodução)

Atualmente, a Universidade oferece 11 mestrados e dois doutorados

A Universidade Estadual de Goiás entrará para a história por ser o principal mecanismo do governo estadual de superação de assimetrias sociais e de promoção do desenvolvimento do Estado. A tese é do reitor da UEG, Haroldo Reimer, assegurando ainda que a curto prazo a universidade será transformada em “instituição de futuro”.

“Vamos deixar o legado de que a UEG é uma instituição de futuro. Ela será cada vez mais um instrumento importante para promover localmente o desenvolvimento de Goiás, formando pessoas em um nível cada vez mais qualificado. Tanto é que, para os próximos quatro anos, o objetivo é continuar sendo uma universidade de inclusão e cada vez mais ser comprometida com o desenvolvimento regional. Esse é nosso compromisso”, afirma o reitor.

De acordo com Haroldo Reimer, as mudanças promovidas na UEG desde o início de 2012, foram fundamentais para que ela conseguisse conquistar um patamar de respeitabilidade acadêmica até mesmo internacionalmente.

“Nós conseguimos tirar a UEG da crise na qual ela estava entre 2010 e 2012. Hoje, ela é a segunda maior instituição universitária ofertante de mestrado e doutorado no Estado de Goiás. Além disso, nós conseguimos reposicioná-la perante a sociedade, o próprio Governo e a mídia”, pontua.

Cita como resultado prático dessa transformação um levantamento realizado recentemente pela UEG, que aponta menos de 5% de mídia negativa relacionada à universidade, entre as reportagens publicadas no Estado no ano passado. “Nós estamos nos reposicionando e as pessoas estão percebendo a universidade de uma forma diferente”, diz.

Outro avanço que garantiu à UEG maior democratização acadêmica foi a instituição da colação de grau gratuita e unificada. Em 2016, foram realizadas 53 colações de grau no primeiro semestre e mais seis no segundo semestre. O total de formandos chegou a 3.116 alunos. Além disso, o novo processo de gestão interna se tornou mais democrático, participativo e com reuniões periódicas do Conselho Universitário.

“Dessa forma, o que nós decidimos para a universidade tem o respaldo dos gestores dos campi. Assim, as questões são pensadas democraticamente e, quando levadas à sanção do governador, já é uma decisão amadurecida”, explica.

Mestrados e Doutorados

A UEG se tornou a segunda instituição maior ofertante de cursos de pós-graduação Stricto Sensu (Mestrado e Doutorado) de Goiás. “Isso ajudou a UEG a reposicionar-se no cenário acadêmico, fazendo dela hoje uma instituição que é vista como conceituada”, garante.

Atualmente, a UEG oferece 11 mestrados – nove acadêmicos e dois profissionais – e dois doutorados. Os mestrados são oferecidos nos campi de Anápolis, Ipameri, Morrinhos e São Luis de Montes Belos.

O 11º curso de mestrado da UEG, do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Língua, Literatura e Interculturalidade, será oferecido no campus Cora Coralina, em Goiás. O curso foi aprovado em dezembro de 2016 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Ministério da Educação (MEC), em Brasília.

O segundo doutorado da UEG, em Química, também foi aprovado no fim do ano passado pela Capes. O curso foi criado em associação com as Universidades Federais da Grande Dourados (UFGD), no Mato Grosso do Sul, e de Goiás (UFG), em Catalão.

Reimer informa que 2016 foi o ano da plena efetivação da nova matriz curricular da UEG. Gestada em 2013, essa nova matriz foi implementada em 2015 com a perspectiva de orientar o estudante para ser protagonista de sua trajetória acadêmica. Com a reformulação, a UEG busca também oferecer formação cidadã, e com isso proporciona mais que formação profissional: oportuniza aos estudantes as ferramentas para serem agentes de mudanças sociais.

A mudança não foi meramente de matriz curricular, mas da cultura universitária, com o câmbio do perfil e da perspectiva do ensino, colocando o aluno como sujeito e contro desse currículo. Nessa perspectiva, a mudança significou a inclusão de disciplinas comuns a todos os cursos da Instituição. Assim, desde 2015, conteúdos relacionados a Direitos Humanos e a cidadania passaram a ser discutidos na disciplina Diversidade, Cidadania e Direitos.

Entre os avanços conquistados pela mudança na matriz curricular, a flexibilidade foi o mais notório. Estruturada em três eixos (Núcleo Comum, Núcleo Específico e Núcleo Livre), a nova matriz possibilita que os estudantes tenham uma maior autonomia em sua formação, podendo formar a grade de disciplinas que quer cursar em cada semestre.

Especialização

Se a intenção do candidato é ampliar a capacidade acadêmico-profissional, a indicada é a especialização Lato Sensu, ou seja, com os cursos de especialização. É a opção para se qualificar acadêmica e profissionalmente. O curso direciona o estudante para a área em que se graduou, com uma visão mais ampliada. A UEG conta com 52 especializações, ministradas em 31 municípios de todas as regiões goianas, de acordo com o perfil de cada uma delas.

Incubadoras

Criado em 2012 com o intuito de preparar jovens empreendedores para inovarem no mercado de trabalho, o Programa de Incubadoras (Proin), conta atualmente com 12 projetos incubados. No último edital, no ano passado, recebeu 42 inscrições de ideias de negócios, um marco em Goiás.

O objetivo do programa é encontrar ideias de negócios e líderes promissores entre os acadêmicos e prepará-los para se destacar no mercado – não apenas como profissionais, mas também como empresários e criadores. O programa oferece infraestrutura básica para funcionamento das empresas e projetos incubados.

Os estudantes selecionados têm acesso a um espaço de trabalho compartilhado para desenvolver suas atividades. A UEG fornece aos jovens empreendedores o apoio e a formação para que seus projetos e ideias de negócios tenham melhor planejamento. “O Proin é um case de sucesso entre as incubadoras no Estado de Goiás. Internacionalmente, já foi mapeado e registrado entre as 300 melhores incubadoras do mundo, segundo levantamento da Universidade de Oslo (Noruega)”, informa o reitor Haroldo Reimer.

Quer comentar?

Comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.