Presidente de seção eleitoral de Colégio Militar em Anápolis foi levada presa à Polícia Federal

Se condenada, ela pode pegar até dois anos de pena

Rafaella Soares -

A presidente da seção eleitoral 37, no Colégio Estadual da Polícia Militar de Goiás Arlindo Costa, na Vila Santa Isabel, região Norte de Anápolis, foi presa na manhã deste domingo (28) após utilizar o celular para fazer boca de urna enquanto trabalhava.

Ao Portal 6, o delegado federal Antônio José dos Santos contou que a mulher tirou uma foto da mesa onde ficam o leitor biométrico e o caderno com o nome dos eleitores e votos justificados.

Em seguida, a mulher, que tem 33 anos, enviou o registro para um grupo de WhatsApp da Justiça Eleitoral (criado exclusivamente para repassar orientações aos mesários), juntamente com o nome e número de um dos presidenciáveis.

PublicidadePublicidade

Acionada imediatamente por autoridades eleitorais, a Polícia Militar procedeu com a prisão e o encaminhamento dela à sede da Polícia Federal em Anápolis.

A mulher prestou depoimento e foi registrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), no qual ela se comprometeu a participar de uma audiência com o TSE. Se condenada, poderá pegar pena de até dois anos.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.