Portal 6

Atravessador do SUS em Anápolis terá de voltar imediatamente para cadeia

Por unanimidade, desembargadores estipularam nova pena por ele ter matado Manoel Luiz envenenado

Durou poucos segundos o julgamento de Edmilson Neves de Souza na 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), realizado no final da tarde desta terça-feira (11).

Por unanimidade, os cinco desembargadores mantiveram a condenação dele em regime fechado, mas diminuíram a pena antes arbitrada em 21 anos e nove meses para 14 anos e 13 dias.

A condenação é pelo homicídio duplamente qualificado de Manoel Luiz Pereira Gualberto, de 53 anos, ex-padrasto de Edmilson, morto envenenado em 2006. O Ministério Público alega que Edmilson cometeu o crime para receber um seguro de R$ 500 mil.

Ainda que recorra aos tribunais superiores, Edmilson terá de fazê-lo preso.

Prisão

Nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (12) o TJGO deve publicar em seu sistema um extrato com a sentença permitindo que a vara criminal de Porangatu emita o mandado de prisão.

O mesmo também pode ser feito pelo gabinete do desembargador Edson Miguel, relator do caso na segunda instância.

Fraude no SUS

Acusado de intermediar o pagamento de R$ 10 mil para um médico da Regulação da Prefeitura de Anápolis, a pedido do vereador Valmir Martins (PTB), de Porangatu, Edmilson já foi convocado para prestar depoimento no 1º DP de Anápolis, mas a Polícia Civil ainda não conseguiu localiza-lo na cidade.

Reportagem publicada na segunda-feira (10) pelo Portal 6 mostrou áudios em que o atravessador conta como foi procurado pelo vereador e ameaça entregar a cabeça de mais ‘políticos graduados’ que também estariam envolvidos no esquema.

Em áudios, atravessador da saúde em Anápolis ameaça entregar cabeça de políticos

Quer comentar?

Comentários




Nosso Twitter

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.