PublicidadePublicidade

Homem morto em Anápolis esquartejou esposa e colocou corpo em caixa de isopor

Ele era procurado pelas forças de segurança do Pará desde julho deste ano

Da Redação -

Foi através de uma denúncia anônima que o Comando de Operações de Divisas (COD) da Polícia Militar descobriu que José Aparecido Avelino, de 45 anos, estava escondido em uma casa da Vila Mariana, um pequeno e pacato bairro da região Sudoeste de Anápolis.

Na noite desta quarta-feira (16), ao avistar a viatura, ele se trancou na residência e, de lá, passou a atirar  em direção aos policiais, que prontamente revidaram.

Atingido, o homem foi socorrido pelo Serviço Ambulatorial Móvel de Urgência (SAMU), mas não resistiu aos ferimentos e faleceu momentos depois.

PublicidadePublicidade

Mandado de prisão

José Aparecido Avelino era procurado pelas forças de segurança do Pará, após a Polícia Civil do mesmo estado concluir inquérito que ele foi o assassino da ex-amásia, Madalena da Silva Santos, de 28 anos, no mês de julho, na cidade de Castanhal.

O corpo da mulher foi encontrado em avançada decomposição dentro de uma caixa de isopor, no banheiro da casa onde ela morava.

A perícia concluiu que Madalena foi morta por estrangulamento, esquartejada e depois colocada no recipiente. O casal tinha duas filhas e José Aparecido fugiu com as crianças para Goiás.

Novo inquérito

Em entrevista à Rádio São Francisco, o delegado Wlisses Valentin, do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Anápolis, contou que o foragido também tinha passagens por estupro e lesão corporal.

“Estive no local acompanhando o trabalho da perícia e agora a gente instaura o inquérito policial para delimitar a atuação de cada um e remeter ao Poder Judiciário”, adiantou.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade