PublicidadePublicidade

Médico de Anápolis tira todas as dúvidas sobre a hipertensão arterial

Profissional explica quais os fatores de risco, como é feito o diagnóstico e quais as maneiras de tratar a doença

Da Redação Da Redação -
(Foto: Divulgação)

A hipertensão arterial é uma doença séria, que atinge cerca de 30% dos brasileiros e pode provocar problemas ainda maiores, como infarto e acidente vascular cerebral (AVC).

Conhecida popularmente como “pressão alta”, a enfermidade também é silenciosa e, para um diagnóstico precoce, é importante ter acompanhamento médico e fazer a aferição ao menos uma vez ao ano.

Há, no entanto, muitas pessoas que não sabem o que fazer ou sobre o momento ideal para buscar ajuda quando o assunto é hipertensão. Por isso, o Portal 6 conversou com o Dr. Eduardo Porto Constantino.

PublicidadePublicidade

Ele formado em Medicina pelo Centro Universitário Barão de Mauá, em Ribeirão Preto (SP), com residência médica em cardiologia no Hospital de Beneficência Portuguesa de Ribeirão Preto (2014-2016) e atua na área de cardiologia na Clínica Popular da Saúde.

Agendamentos podem ser feitos pelos telefones (62) 3324-8593 e (62) 9 9551-1193.

(Foto: Divulgação)

Confira a entrevista na íntegra

O que é a hipertensão e quais danos ela pode trazer à saúde?

Dr. Eduardo Porto – Hipertensão arterial é uma doença causada por múltiplos fatores e que acomete vários sistemas do organismo como o sistema nervoso central, sistema cardiovascular e sistema renal, caracterizando-se por médias pressóricas iguais ou acima de 140×90.

Quais são os fatores que colaboram para o desenvolvimento da hipertensão?

Dr. Eduardo Porto – A obesidade, o sedentarismo, o estresse, o tabagismo e quantidades excessivas de álcool ou sódio na dieta podem desempenhar um papel no desenvolvimento da hipertensão arterial em pessoas que têm uma tendência hereditária para desenvolvê-la.

Como é feito o diagnóstico?

Dr. Eduardo Porto – A hipertensão, ao contrário do que algumas pessoas pensam, é uma doença de comportamento silencioso. Sendo assim, o diagnóstico é feito através de rastreamento dos indivíduos, com aferições frequentes da pressão arterial.

Quando e com que frequência devemos começar a medir a pressão arterial?

Dr. Eduardo Porto – Devem-se medir a pressão arterial a cada seis meses, principalmente se existirem pessoas hipertensas na família, não por prevenção, mas porque o diagnóstico precoce é muito importante. Como só medindo a pressão, sabemos se está elevada, o intervalo entre uma medição e outra deve ser de seis meses ou, no máximo, de um ano. Isso nos permite garantir um período curto de instalação de uma doença, que evolui lentamente ao longo dos anos.

Por que a obesidade tem relação tão direta com a pressão arterial?

Dr. Eduardo Porto – O ganho de peso interfere no sistema nervoso simpático que, entre várias outras funções, controla a dilatação e a constrição dos vasos. Alguns estímulos fazem com que os vasos se fechem mais e os rins retenham mais água. Vasos mais estreitos e maior volume são dois fatores que favorecem a elevação da pressão arterial.

É possível tratar hipertensão sem medicamentos?

Dr. Eduardo Porto – Sim, uma parcela das pessoas hipertensas conseguem ser tratadas apenas com medidas gerais não medicamentosas como a adoção de um estilo de vida mais saudável, prática regular de exercícios, dieta equilibrada restrita em sal, sem ingestão excessiva de álcool, e manutenção do peso.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade