PublicidadePublicidade

Câmara de Anápolis vive impasse e crise de liderança, apontam vereadores

Derrubar veto, lembram os mais experientes, pode implicar em custos políticos, sobretudo para vereadores da base. Então, o que fazer e quem pode mediar a situação? É o que muitos se perguntam por lá

Avatar Danilo Boaventura -
Sede alugada da Câmara Municipal de Anápolis, na Avenida Jamel Cecílio. (Foto: Danilo Boaventura)

O tempo seco e pouco respirável em Anápolis está muito pior na Câmara Municipal desde a volta do recesso parlamentar. E a previsão dos próprios vereadores é que o clima vai piorar.

Além da contrariedade pelo fim das sessões híbridas, a principal queixa dos parlamentares ouvidos em off pela seção Rápidas do Portal 6 são os vetos do Executivo aos projetos de Lei aprovados pela Casa.

Nesta quarta-feira (11) é esperado que mais três sejam votados e aprovados no plenário, totalizando nove colocados na pauta pelo presidente Leandro Ribeiro (PP) durante esta semana.

Derrubar veto, lembram os mais experientes, pode implicar em custos políticos, sobretudo para vereadores da base. Então, o que fazer e quem pode mediar a situação? É o que muitos se perguntam por lá.

Para evitar novos vetos, um deles sugeriu que a Procuradoria da Câmara emita pareceres para cada projeto apresentado. Assim, quando forem apreciados na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) haveria um indicativo sobre a pertinêncial legal do texto.

Há quem avalie essa “saída” como incerta e humilhante, uma vez que os gabinetes já dispõem de assessores jurídicos.

Outros defendem atitudes de mais enfrentamento, mas todos os ouvidos concordam que não é o momento.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade