PublicidadePublicidade

Professores não vacinados contra Covid-19 podem ter salários bloqueados a partir de outubro

Secretária de Educação também adiantou que todos os alunos, com exceção daqueles com comorbidades, devem retornar completamente ao ensino presencial

Augusto Araújo -
(Foto: Divulgação/Seduc)

A secretária de Educação de Goiás, Fátima Gavioli, afirmou em entrevista à CBN Goiânia que os professores da rede estadual que não tiverem se vacinado, pelo menos com a primeira dose contra Covid-19, terão o salário bloqueado. Isso, caso não apresentem justificativa plausível.

“Temos 98% [dos professores vacinados] com a primeira dose, segunda dose estamos nos aproximando de 70%. Mas a partir de outubro, começaremos a bloquear o pagamento dos servidores que não tomaram a primeira dose e não apresentarem justificativa”,  anunciou.

Além disso, Fátima confirmou que vai solicitar ao Centro de Operações de Emergências (COE) a autorização da continuidade do ensino remoto apenas para estudantes com comorbidades. “E caso o pai queira trazer [seus filhos com comorbidade] não há nada que os impeça”,  destacou a secretária.

Os demais alunos devem retornar ao ensino presencial. A ideia seria implementar a medida a partir do mês de novembro. A reportagem do Portal  6 entrou em contato com a Seduc para levantar mais informações, mas não obteve resposta até a publicação dessa reportagem.

 

 

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade